7 histórias gastronômicas para você ler antes de morrer

Histórias curiosas já são uma delícia. Imagine se é real e ainda gira em torno da gastronomia? Veja abaixo 7 livros com histórias gastronômicas!

Primeiramente, quero me desculpar pelo sumiço. Semana passada sofri com uma dengue danada que me impediu de ter coragem de escrever ou cozinhar. Porém, esta semana Capitu volta com força total.

Como fiquei convalescente, pude colocar a leitura em dia. E terminei um livro delícia que conta curiosidades sobre os nomes das comidas.

Foi ai que tive a ideia de fazer uma listinha com obras do tipo. Tem Brillat Savarin (este moço aí da foto), Monet e muito mais.

Olha só:

ponto chicPonto Chic – um bar na história de São Paulo

Editora Senac, Angelo Iacocca

Li este livro o ano passado para escrever uma reportagem sobre alguns restaurantes de São Paulo. Quem nunca teve oportunidade de conhecer o Ponto Chic, pelo menos já deve ter ouvido falar que foi ali que foi criado o famoso lanche bauru.

Inaugurado em 1922, no Largo do Paissandu, o Ponto Chic se tornou um dos points mais famosos da cidade. Na suas mesas se sentaram nomes como Mario e Oswald de Andrade e Monteiro Lobato.

Pelo panorama da história do bar, acompanhamos também a evolução da São Paulo década após década. Um livro cheio de curiosidades e histórias divertidíssimas.

Daniel PereiraÀ Mesa com Monet

Editora Sextante, Claire Joyces

Durante uma pesquisa, a historiadora de arte Claire Joyces, encontrou um livro de receitas que pertenceu a ninguém mais, ninguém menos que Claude Monet.

A partir desta descoberta ela escreve este livro lindo, lindo sobre as preferências culinárias do pintor. Assim descobrimos como a comida influenciava a produção da sua arte.

Além de curiosidades, o livro conta também com as receitas do caderno do pintor. Para esta edição, todas elas foram adaptadas pelo chef Joël Robuchon e podem ser recriadas facilmente em casa.

A obra é linda, cheia de fotos e imagens de encher os olhos e dar água na boca.

quem colocou o filé no wellingtonQuem colocou o filé no Wellington

Editora Melhoramentos, James Winter

Afinal, por que strogonoff se chama assim? Como surgiu a feijoada?

Este livro é pra quem adora curiosidades. E foi ele que eu li enquanto estava doente. É uma experiência super divertida.

Quem nunca se perguntou como surgiram os nomes dos pratos famosos que existem ao redor do mundo?

O escritor James Winter investigou 50 receitas e apresenta detalhes da história por trás da criação destes pratos.

Os Banquetes do Imperador

Editora Senac, André Boccato e Francisco Lellis

os banquetes do imperador

Este livro conta com 140 cardápios completos do século 19. São receitas colecionadas por D. Pedro II e que foram doadas pelo próprio Imperador para a Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro.

Ano passado estive na Flip e pude acompanhar o lançamento da obra. Para a ocasião, estavam expostos os cardápios originais e utensílios de cozinha usados pelo Imperador. Nem preciso dizer que foi incrível, né?

O bacana é que além das curiosas receitas, o livro conta ainda dados históricos que remontam a época. É uma viagem no tempo.

a comida baiana

A comida baiana de Jorge Amado

Editora Panelinha, Paloma Amado

Eu já falei sobre este livro aqui

Após uma intensa pesquisa, Paloma Amado reuniu as receitas citadas nas obras do seu pai, Jorge Amado, e nos trouxe este livro maravilhoso.

Trata-se de uma obra cheia de receitinhas de histórias como “Dona Flor e Seus Dois Maridos” e “Gabriela, Cravo e Canela”.

É uma homenagem linda a Jorge Amado que sempre gostou e preservou a culinária baiana.

cozinha uma historia da transformação

Cozinhar, uma história natural da transformação

Editora Intrinseca, Michael Pollan

O escritor Michael Pollan convida o leitor a se deliciar com a maravilhosa alquimia que é cozinhar.

Este foi um livro que me inspirou bastante nesta empreitada de aprender a cozinhar.

Com a vida corrida, deixamos cada vez mais de lado a curiosidade de aprender sobre os alimentos e as transformações dos ingredientes.

Este é um livro super interessante, escrito de forma deliciosa e que vai fazer você correr para a cozinha. Prometo!
fisioA Fisiologia do Gosto

Companhia das Letras, Brillat-Savarin

A Bíblia da Gastronomia tinha que entrar por aqui.

Este é um clássico que todo apaixonado por literatura e gastronomia deve ter na estante.

Trata-se de um diário gastronômico escrito por Brillat Savarin, um dos maiores gastrônomos de todos os tempos e que, muito sabiamente disse: “A descoberta de uma nova receita faz mais pela felicidade do gênero humano do que a descoberta de uma estrela”.

Em seu livro ele fala sobre regras de etiquetas, receitas, dicas de preparação de comidas e muitas outras curiosidades sobre a França gastronômica durante o século 18.

 

Você se lembra de mais algum livro curioso? Comente aqui e me dê a dica!

<3

 

 

Denise Godinho

Meu nome é Denise Godinho. Decidi aprender a cozinhar e, para a empreitada ser mais interessante, vou fazer as receitas que estão escondidas dentro dos livros. E, acredite, são muitas!

Share This