Bacalhau à Portuguesa de O Primo Basílio

Em “O Primo Basílio“, Luísa é amiga da excêntrica Leopoldina, que gosta de visitá-la só para provar o legítimo Bacalhau à Portuguesa feito pela empregada Juliana. Você se lembra?

Sempre gostei muito de Eça de Queirós. Inclusive, já falei por aqui algumas vezes que no meu top 10 livros favoritos se encontra “O Primo Basílio”.

Tem a ver com a época em que li a obra. Foi num momento que eu começava a me despertar para a leitura. E, bom, para alguém que começa a se apaixonar por livros, conhecer Eça de Queirós se torna uma delícia.

Isto porque o cara mandava muito bem com as palavras. Toda a descrição de ambiente, roupas e sarcasmo faz com que a gente seja transportado para Portugal do final do século 19.

Além disso, estamos falando de um cara que em pleno século 19 decide trazer à tona discussões ácidas sobre adultério (O Primo Basílio), religião (O Crime do Padre Amaro) incesto (Os Maias), artificialismo social (A Cidade e as Serras) e muitas outras.

E ainda mais, foi com “O Primo Basílio” que tive o primeiro ensinamento sobre a difícil arte de se apaixonar. “Denise, amar é cilada”, foi o que Eça me ensinou.

#valeuEça

eça

Eça foi um cara que sempre criticou muito as relações sociais e a burguesia em Portugal. Tanto é que, frequentemente, ele coloca sua terra natal em conflito com Paris. (Vale lembrar que ele mesmo se mudou para Paris e por lá ficou, morrendo na Cidade Luz em 1900).

Este conflito fica bem claro em “A Cidade e as Serras”, como já comentei aqui. E, claro, em “O Primo Basílio”, já que Basílio é o primo distante que vive em Paris, e é exemplo de um cara culto, inteligente e moderno, alvo da paixão doentia de Luísa.

Você deve se lembrar da história, mas não custa nada fazer um resuminho. Luísa, a inocente e bela Luísa, é casada com Jorge, um bem-sucedido engenheiro de Lisboa. A rotina da família é bem tranquila. O casal vive com a amarga e vingativa empregada Juliana. Um monstro, mas que cozinha como ninguém.

Em determinado momento, Jorge precisa viajar a trabalho e deixa Luísa sozinha. Não sem antes alertá-la para o fato de não querer Leopoldina em casa.

Leopoldina é uma antiga amiga de Luísa, conhecida por ser desbocada e uma mulher cheia de vontades, notória por seus adultérios. É claro que não pega bem recebê-la em casa. 

Porém, Luísa a recebe mesmo assim. Leopoldina é completamente apaixonada pela bacalhoada de Juliana e, sempre que pode, dá um pulinho na casa da amiga para se lambuzar com a receita.

Veja um trecho:

E como Juliana entrava com o bacalhau assado, fez-lhe uma ovação! 
— Bravo! Está soberbo! 
Tocou-lhe com a ponta do dedo, gulosa; vinha louro, um pouco toscado, abrindo em lascas. 
— Tu verás — dizia ela. — Não te tentas? Fazes mal! 
Teve então um movimento decidido de bravura, disse: 
— Traga-me um alho, Sra. Juliana! Traga-me um bom alho! E apenas ela saiu: — Eu vou ter logo com o Fernando, mas não me importa!... Ah! Obrigada, Sra. Juliana! Não há nada como o alho!... Esborrachou-o em roda do prato, regou as lascas do bacalhau de um fio mole de azeite, com gravidade. 
— Divino! — exclamou.
o primo basilio
Em 2007, o livro de Eça de Queirós virou filme nacional protagonizado por Débora Falabella e Fábio Assunção.

Enquanto Jorge está fora, Luísa se encontra com o primo Basílio, uma charmosa e antiga paixão que está de volta de Paris.

Bom, aí o circo tá armado, né?

Luísa se apaixona e se rende aos charmes do adultério. Porém precisa lidar com as ameaças de Juliana – que descobre tudo e promete contar a história para Jorge. Tudo isso enquanto Leopoldina se lambuza em bacalhau e Basílio se lambuza em Luísa.

Mas, já que por aqui só falamos de comida, vou me debruçar no Bacalhau à Portuguesa. E que bacalhau, amigos!


2machados

 

Bacalhau à Portuguesa
Avalie essa receita
Imprimir Receita
Ingredientes
  1. 1 kg de bacalhau dessalgado e descongelado
  2. 4 batatas descascadas e fatiadas
  3. 2 pimentões vermelhos cortados em rodelas
  4. 1 cebola cortada em rodelas
  5. 2 tomates cortados em rodelas
  6. 1 xícara chá de azeitonas pretas
  7. 1 xícara chá de ervilhas
  8. 1 folha de louro
  9. Sal e pimenta do reino a gosto
  10. Azeite
  11. Alho
Modo de Preparo
  1. Cozinhe as batatas no vapor e reserve.
  2. Corte o bacalhau em pedaços grandes, mas não tire a pele.
  3. Unte uma travessa com azeite e acomode o bacalhau.
  4. Cubra-o com as batatas, os pimentões, a cebola, os tomates, as azeitonas, as ervilhas, a folha de louro e muito alho picado. (Como a Leopoldina gosta)
  5. Tempere com sal e pimenta.
  6. Regue com muito azeite e cubra com folha de alumínio.
  7. Leve ao forno preaquecido a 180 graus por mais ou menos 50 minutos.
Capitu vem para o jantar http://capituvemparaojantar.com/

 Quando fui para Lisboa, tive oportunidade de provar diferentes tipos de bacalhaus. Mas, vale dizer que o tradicional Bacalhau à Portuguesa é servido apenas com torradas ou batatas.

Quando pedimos uma porção extra de arroz, o garçom olhou para nossa cara, levantou a sobrancelha e disse: “Oras, tinha que ser brasileiro”. 

Mas, já que as coisas são como são e nós adoramos arroz, sirva esta receita com uma generosa porção de arroz branco bem fresquinho.

Bom apetite!

Denise Godinho

Meu nome é Denise Godinho. Decidi aprender a cozinhar e, para a empreitada ser mais interessante, vou fazer as receitas que estão escondidas dentro dos livros. E, acredite, são muitas!

Share This