Bolo de Aniversário de Clube da Luta e uma crise existencial na cozinha

 

 O livro “Clube da Luta”, de Chuck Palahniuk, conta com uma passagem curiosa e interessante envolvendo um bolo de aniversário. Que ocasião melhor para fazer esta receita do que num aniversário?

Clube da LutaJá faz algum tempo que as amigas estão me cobrando um jantar. E não é só um mero jantar não. Elas cobraram até qual a receita que eu deveria fazer. Decidi chamá-las em casa para um get together despretensioso a fim de fazer a tal receita (Que estrelará o próximo post).

No entanto, calhou de marcarmos o encontro um dia antes do aniversário de uma delas. Bom, aí ficou claro que era a oportunidade ideal para fazer o bolo de aniversário de “Clube da Luta”, né?

E deixa eu te contar. Foi um caos! Eu não sei o que aconteceu desta vez, mas tudo deu errado na cozinha. Talvez porque eu decidi fazer três receitas e acabei me desesperando com o horário e as coisas começaram a ruir. O bolo não cresceu. Ele não ficou borrachudo, ficou até fofinho e gostoso, mas não cresceu como os outros que eu fiz. Daí, de última hora, decidi fazer outro bolo. E o mesmo aconteceu. Não cresceu. O que será que rolou? Será que é meu fogão? O gás tá acabando? Me ajuda ai! rs

Para solucionar o problema, sabe o que eu fiz? Juntei os dois bolos, meti um recheio de leite condensado e o Bolo de Aniversário de Clube da Luta acabou virando um bolo em duas camadas.

Mas aí veio a hora do merengue, ele ficou lindo, brilhante, durinho. Só que conforme o tempo foi passando com ele na geladeira, acabou se desmontando. Quando eu estava prestes a jogar o bolo às favas e criar eu mesma um Clube da Luta para cozinheiras frustradas, o Hugo, – fiel escudeiro, ajudante, conselheiro e namorado – veio com a brilhante ideia: Denise, você está fazendo um bolo de “Clube da Luta”, cara. Você acha que seria um bolo bonitinho? E, no fim das contas, o bolo sofreu um acidente de carro, certo?.

Bom, e não é que ele tinha razão?

O Bolo de Aniversárioclube da luta

A história de “Clube da Luta” gira em torno de um homem que tem problemas para dormir. Ele costuma frequentar encontros de pessoas com doenças em fase terminal. Aquilo passa para ele a sensação de todas a noites morrer e viver de novo – numa das metáforas mais foda sensacionais que eu já li.

Num destes encontros, ele conhece Marla, uma garota que frequenta estas reuniões pelo mesmo motivo que ele. Os dois acabam tendo um estranho e conturbado relacionamento. Mas, o encontro mais importante acontece numa viagem de trabalho, quando ele conhece Tyler Durden. Um homem que vive desprendido das regras que a sociedade nos impõe e cria um Clube da Luta – basicamente um encontro para os caras se esbofetearem e liberarem seus instintos mais primários.

Mas onde raios entra o bolo de aniversário? Se você assistiu ao filme – estrelado pelos tesudos atores Brad Pitt e Edward Norton – deve se lembrar da cena em que Tyler desafia a morte na estrada, tarde da noite, desviando de caminhões, até capotar o carro – tudo para ter a sensação de estar próximo da morte e descobrir um propósito na vida. Afinal, o que você faria se soubesse que iria morrer?

Esta passagem in-crí-vel também está presente no livro. Porém, na obra de Palahniuk, não é Tyler quem dirige o carro e sim um mecânico que participa do clube. Quando o narrador entra no automóvel, há um bolo de aniversário no banco do passageiro. O motorista começa a dirigir em alta velocidade, acende as velinhas do bolo, desvia de caminhões, tudo enquanto questiona o narrador sobre a vida e morte. ” O que você gostaria de fazer antes de morrer?”, pergunta.

O presente de aniversário do nosso narrador é justamente isto: saber o que fazer diante da morte. Esta é uma das minhas partes preferidas no livro. Que sequência literária genial! Quando o carro sai da pista, o narrador diz que está com as mãos meladas. O motorista pergunta se é sangue, mas na verdade era só o creme do bolo que se espatifou com o acidente.

Curiosidades clube da luta

Chuck Palahniuk é jornalista e escritor, mas em determinado momento da carreira ele largou tudo e foi trabalhar como voluntário num hospício. Já dá para entender porque a literatura dele é tão perturbadora, né?

“Clube da Luta” é seu terceiro livro e foi lançado em 1997. No entanto, à princípio a obra seria apenas um conto. Aliás, fique sabendo que o conto original é nada mais nada menos do que o sexto capítulo da obra. Em 1999, quando o livro ganhou um filme protagonizado por Brad Pitt e Edward Norton, foi o próprio Palahniuk que deu a dica: talvez eles estivessem que estar realmente alcoolizados em cena. Bem, e assim o fizeram. Todas as vezes que os dois personagens aparecem embriagados vemos como Pitt e Norton realmente ficam quando exageram nas biritas.

Machado de AssisMachado de AssisNível: 2 Machados que valem a pena

IngredientesClube da Luta

Primeiro, uma explicação: O livro não dá pista do sabor do bolo ou do tamanho. Apenas dá menção que é um bolo melequento – já que lambuza toda a mão do narrador. Por isso, decidi fazer aquele típico bolo de aniversário americano coberto com muito chantily. E, no fim, o meu “remendo culinário” ao criar o bolo de duas camadas até que fez sentido.

Para cada um dos bolos você vai precisar de:

– 1 xícara chá de leite
– 4 ovos
– 3 colheres sopa de manteiga
– 2 xícaras de açúcar
– 1 xícara de chocolate em pó
– 3 xícaras de farinha de trigo
– 1 colher sopa de fermento

Para o recheio:

– 1 lata de leite condensado

Para a cobertura:

– 5 claras de ovos
– 1 xícara de açúcar
– Morango para enfeitar

Passo a PassoClube da Luta

Bata todos os ingredientes – com excessão do fermento – na batederia por 5 minutos. Em seguida, coloque o fermento e mexa com delicadeza com uma espátula.

Coloque a massa numa forma untada e leve ao forno médio por 30 minutos.

Depois de fazer os dois bolos, coloque o leite condensado entre eles.

Para fazer o merengue, bata as claras e o açúcar por cerca de 5 minutos na batedeira. O ponto é quando fica um creme bem consistente. Teste: Se você virar a tigela da batedeira de ponta cabeça e o creme não cair.

Cubra o bolo com o merengue e enfeite com morangos.

Clube da Luta

 

O bolo pode ter ficado feio, porém esta é a primeira oportunidade que até faz sentido a receita ser feia, certo? No entanto, ficou gostoso. 

Cantamos parabéns para a Bru, a aniversariante do dia, mas nada de questionamentos sobre vida e morte, né. Não era o momento.

As duas próximas receitas do blog também fizeram parte do jantar. Porém, elas ficaram bem mais bonitas, prometo!

No fim, estipulei minha primeira regra sobre o Clube da Cozinha: Não falo sobre o desastres que acontecem dentro dela. Segunda regra? Não falo sobre os desastres…

Mentira! Afinal, se eu não contar perde a graça, né? 😛

Clube da Luta

Denise Godinho

Meu nome é Denise Godinho. Decidi aprender a cozinhar e, para a empreitada ser mais interessante, vou fazer as receitas que estão escondidas dentro dos livros. E, acredite, são muitas!

Share This