Café com Pão de Manuel Bandeira

 “Café com pão, café com pão, café com pão… Virje Maria, que foi isso maquinista?” Quem não se lembra do poema “Trem de Ferro“, de Manuel Bandeira, presente no livro “Estrela da Manhã”?

 Você deve se lembrar deste poema graças a leitura obrigatória da escola, ou por o livro está presente em alguma lista de faculdade ou apenas pelo inconsciente popular. Quando eu era criança, cantarolava o poema sem nem imaginar que se tratava de uma obra de Manuel Bandeira.

O poema não dá conta de dizer que pão é esse, então optei por um Pão Recheado de Presunto e Queijo. Só para ficar diferente das receitas de pães que já publiquei aqui e aqui

Antes de começar a falar sobre o pão, quero dizer que neste final de ano as coisas ficaram um pouco complicadas e por isso só estou publicando uma receita por semana. 🙁 Além disso, finalmente entrei de férias e vou viajar durante vinte dias. Isso significa que o blog será alimentado com menos frequência. Porém, vou para um destino que é conhecido por sua gastronomia maravilhosa e estarei sempre atualizando as páginas do Facebook, Twitter e Instagram. E, claro, assim que voltar tenho umas receitas deliciosas natalinas para publicar por aqui! Além de contar como foi minha viagem 😉

É engraçado como eu reconheço o valor da obra só hoje – quando posso ler o poema sem o peso de ser algo obrigado por alguma professora. É que, quando mais jovem, a gente tem dessas, né? Se formos obrigados a ler determinada coisa, automaticamente achamos que é ruim. E, olha, é com dor no peito que eu falo que achei o livro “Estrela da Manhã” um porre quando o conheci a primeira vez, no auge dos meus 14 anos. (Heresia, sei bem! Olha que pessoa detestável eu era).

E então, dia desses na casa da minha mãe, me deparei com o livro na estante. Me joguei no sofá e o matei em algumas horas. Lembro exatamente o que pensei assim que o fechei. “Como raios eu achei isso ruim?”. Algumas obras são assim, né? Precisamos de maturidade para apreciá-las.

poema “Trem de Ferro” é sensacional pelo jeito como ele foi montado. Para começo de conversa, ele só faz sentido se o lermos em voz alta. As palavras vão dando a sonoridade que um trem de ferro faria ao começar a andar.

Esta imitação sonora de um trem em movimento é incrível e marcada pelo número de sílabas das palavras. Por exemplo, quando ele está em alta velocidade, as palavras têm três sílabas, quando está com pouca velocidade, há duas sílabas.

Dá para você perceber isso na versão musicada feito por Tom Jobim. Ouve aqui embaixo: 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Ou, ainda, ícone da infância, o poema recitado pelo Gato Pintado em Castelo Rá-Tim-Bum

 

 

 

 

 

 

 

 

 Manuel Bandeira foi um dos maiores poetas consagrados pela geração modernista. Foi convidado para participar da Semana de Arte Moderna de 1922, mas não pôde comparecer. No entanto, ele fez um poema para que este fosse lido por lá. Trata-se do poema “Os sapos“, que foi lido em meio a vaias do público mas se tornou um clássico da poesia moderna brasileira.

O poema “Trem de Ferro” foi escrito na década de 30 e leva algumas referências sobre a vida do autor. O pai de Manuel Bandeira, o engenheiro Manuel Carneiro de Sousa Bandeira, era conhecido por ser grande contador de histórias em Pernambuco. Por isso, alguns estudiosos acreditam que o poema é uma alusão a um causo contato pelo pai.


 

Machado de AssisNível: Apenas 1 Machado

Pão Recheado
Avalie essa receita
Imprimir Receita
Ingredientes
  1. Para a massa
  2. - 500g de farinha de trigo
  3. - 3 ovos
  4. - 2 tabletes de fermento biológico
  5. - 1 xícara chá de leite morto
  6. - 1 pitada de sal
  7. - 1 colher sopa de açúcar
  8. Para o recheio
  9. - 100g de presunto
  10. - 100g de mussarela
  11. - 1 tomate picado
  12. - 1 cebola picada
  13. - Alho à gosto
  14. - 2 colheres sopa de azeite
  15. - Sal à gosto
Modo de Preparo
  1. Dissolva o fermento biológico no leite e acrescente a colher de açúcar.
  2. Enquanto isso, misture a farinha e os ovos. Em seguida, despeje o leite em cima.
  3. Amasse até que a massa fique bem lisa. Cubra com um pano de prato e deixe crescer por uma hora.
  4. Refogue o tomate, o alho e a cebola numa panela.
  5. Quando a massa estiver crescida, divida em duas partes. Abra uma massa com um rolo de macarrão, deixando no formato redonda. Espalhe o refogado, cubra com fatias de presunto e mussarela e enrole o pão, como se fosse um rocambole.
  6. Faça outro pão com a outra parte da massa.
  7. Pincele os dois pães com uma gema batida e leve ao forno médio por quarenta minutos.
Capitu vem para o jantar http://capituvemparaojantar.com/

Eu sempre gostei muito deste pão. A massa fica bem fofa e, bom, adoro presunto e queijo.

É uma ótima opção para um lanche da tarde acompanhado, é claro, de café preto.

Afinal, café com pão, café com pão, café com pão…

 

Denise Godinho

Meu nome é Denise Godinho. Decidi aprender a cozinhar e, para a empreitada ser mais interessante, vou fazer as receitas que estão escondidas dentro dos livros. E, acredite, são muitas!

Share This