Hannibal Lecter está com fome

O seriado “Hannibal” é um prato cheio para quem gosta daqueles suspenses dos bons. E, é claro, para quem não se importa com os hábitos alimentares nada tradicionais do serial killer. Janice Poon é a artista responsável por alimentar o assassino e fazer aqueles pratos maravilhosos que vemos na tela. Ela conversou com o blog e contou várias curiosidades, mórbidas ou não, de dar água na boca.

Como você já deve saber, Hannibal Lecter é um personagem do livro “O Dragão Vermelho”, de Thomas Harris. O seriado é uma adaptação da obra e foca na relação entre o Dr Hannibal Lecter (representado por Mads Mikkelsen) e o investigador do FBI Will Graham (Hugh Dancy). Atualmente é transmitida pelo canal AXN de segunda a quinta-feira, à 0h.

A ideia de acompanhar semanalmente um serial killer comedor de humanos não parece, a princípio, apetitosa. Mas, não tem jeito, os seriados servem para isso: fazer você idolatrar um vilão. E, veja bem, que vilão! Sob pena de causar fúria dos fãs, eu penso que Mads Mikkelsen colocou no chinelo a interpretação de Anthony Hopkins na franquia de filmes sobre o assassino.

Polêmicas a parte, um fato bacana sobre o programa é que cada episódio leva o nome de um prato e, em todos eles, vemos o médico Hannibal se deliciar com a carne de suas vítimas. Tirando o fato de sabermos que trata-se de carne humana, os pratos são extremamente bonitos de se ver. E, verdade seja dita, mórbidos ou não, são de dar água na boca.

Dr Hannibal prepara o jantar: Pulmão

Para que estas receitas apareçam na tela e causem aquela impressão Meu-Deus-É-Carne-Humana-Mas-Tô-Com-Vontade foram convidados dois grandes nomes que encabeçam os bastidores gastronômicos. Trata-se de José Andrés, renomado chef espanhol que possui vários restaurantes ao redor dos Estados Unidos e que ficou com a missão de dar uma consultoria para os roteiristas. E, claro, a habilidosa mão de Janice Poon, a food stylist que coloca a mão, literalmente, na massa e deixa a apresentação dos pratos de cair o queixo.

Para a nossa sorte, Janice possui um blog chamado Feeding Hannibal (Alimentando Hannibal), onde ela conta detalhes das produções dos pratos que aparecem no seriado. Vale a pena passar bons momentos acompanhando o trabalhoso processo de produção e, quem sabe, até se arriscar com algumas receitas. Calma! Não estou dizendo para você visitar o vizinho, arrancar o pulmão do coitado e o jogar na frigideira. Para alívio geral, Janice me conta: “Descobri que a carne de porco é extremamente parecida com a carne humana”. Ufa!

O processo de criação de uma receita é bastante cuidadoso e, claro, curioso. “Felizmente para mim, a maioria dos órgãos do porco tem a mesma aparência humana – então consigo corações, pulmões e rins de um matadouro local. Músculos humanos são replicados com carne de vitela ou de porco cortadas e costuradas para ter o tamanho e forma adequada. Sempre tem um pouco de pesquisa, porque eu quero ser tão convincente e precisa quanto possível. Mas eu também uso massa e gelatina moldada para tomar o lugar de vísceras e órgãos, porque a comida tem que ser palatável para os atores”.

No primeiro episódio do seriado, intitulado “Apéritif”, Hannibal Lecter janta um saboroso pulmão. Em seu blog, Janice conta a saga divertidíssima que foi preparar os pratos deste episódio. Ela diz que o chef José Andrés sugeriu fazer um prato inspirado no Coq au Vin da Julia Child, pulmão aos cubos, exatamente como aparece na tela. Além disso, o assassino também se delicia com um fígado. Ao preparar a iguaria, a artista refletiu: “Todos já passamos por isso. Compramos algo exótico no mercado e estamos na cozinha olhando aquele ingrediente inusitado e pensando: Como apresentarei isso para as crianças? Talvez só diga que é uma galinha”.

Nas fotos abaixo, você vê o desenho que ela fez dos dois pratos e como eles ficaram representados no programa:

 

pulmão

Hannibal Lecter prepara o pulmão

Com exceção de Mads Mikkelsen, que sempre come em cena, estes pratos lindos são feitos apenas para fotografar e a equipe não tem oportunidade de provar estas delícias. “Nós temos intervalo para almoço ao mesmo tempo para relaxar juntos e comer em mesas comunitárias. Há um serviço de buffet que prepara lanches para a equipe”, conta Janice. Uma pena!

Na painel de “Hannibal”, realizado na Comic Con em julho, os produtores disseram o que esperar da continuação do programa. Na primeira temporada, os episódios foram inspirados na culinária francesa e na segunda, em pratos japoneses. Para a próxima, os produtores avisaram: podemos esperar muita e muita comida italiana! Eu pergunto para Janice: Como as receitas surgem no roteiro? “Meu caminho criativo começa quando leio o roteiro do novo episódio. Isso me diz qual será a tendência do personagem e isso influencia os pratos que farei para Hannibal. Muitas vezes, quando a cena da comida está sendo escrita, o produtor Bryan Fuller (em Los Angeles, na sala dos roteiristas) envia e-mail para Jose Andrés e eu (em Toronto) para obter ideias de alimentos que irão apoiar o seu diálogo. Ele decide por um alimento com base nessa conversa. Então, eu começo a esboçar meus pensamentos, como esse alimento será cozido, decorado e apresentado e que acompanhamentos fazer. Então envio a todos os chefes dos departamentos para que todos saibam o que esperar no dia das filmagens”.

janice poon e o produtor de Hannibal Bryan Fuller

É claro que ter a tarefa de alimentar um dos serial killers mais queridos da literatura e da TV não é fácil. E Janice me diz que passou por alguns maus bocados no episódio 12 da segunda temporada quando teve que preparar um Kholodets, um tradicional prato russo que é uma espécie de carne gelatinosa. “Cada refeição teve seus desafios, mas eu acho que o mais difícil foi o Kholodets. Fazer com que anchovas nadem em formol comestível não foi a mais simples das tarefa”, relembra.

Em seu blog, acompanhamos a odisseia. As anchovas são praticamente impossíveis de encontrar entre janeiro e abril nos Estados Unidos, que é quando a temporada estava sendo gravada. Para piorar, na cidade havia apenas um comerciante que vendia anchovas gregas e todas estavam em péssimo estado. Mesmo assim, ela conseguiu encontrar cerca de 50 apresentáveis. Além disso, o roteiro descrevia o prato de forma bizarra, tais como ser acompanhado por um “redemoinho de peixes pequenos” ou estar mergulhado em formol. Dá para imaginar por que a artista surtou, né? (E eu aqui reclamando em fazer um simples jantar mexicano para a família).

Feeding Hannibal

 

 

Comida em Hannibal

Passear pelo blog de Janice é uma delícia. Minha dica? Aproveita que a terceira temporada só estreia no início de 2015 e reveja as duas temporadas – mas sempre de olho no blog de Janice para entender cada receita do episódio. É uma ótima forma de matar a saudade e se sentir próximo da produção. Além disso, dá para arriscar fazer algumas das receitas, já que Janice dá várias dicas para você fazer uma versão menos elaborada para a família. Agora, se vocês me dão licença, preciso planejar um jantar inusitado…

Denise Godinho

Meu nome é Denise Godinho. Decidi aprender a cozinhar e, para a empreitada ser mais interessante, vou fazer as receitas que estão escondidas dentro dos livros. E, acredite, são muitas!