Mary Poppins e a Torta de Geleia de Framboesa

Mary Poppins adora Torta de Geleia de Framboesa. A personagem mais importante da minha infância merece um espaço por aqui! <3

Torta de Geleia de Framboesa de Mary Poppins

Estes dias eu estava fazendo hora na Avenida Paulista e decidi passar o tempo na Livraria Cultura do Conjunto Nacional. De repente me deparo com este exemplar maravilhoso do livro “Mary Poppins”, de P. L. Travers. Foi paixão à primeira vista. Não pensei duas vezes e o trouxe para casa. Eu devia isso a mim mesma por tudo o que Mary Poppins representou para minha infância.

A primeira vez que a conheci foi em algum momento antes dos 10 anos. É engraçado como as memórias gustativas funcionam, né? Eu explico: Foi minha mãe quem alugou o filme em VHS e apresentou para meu irmão e eu esta babá dos sonhos. Para a ocasião, ela fez uma enorme torta de amendoim. Me lembro que devoramos a torta inteirinha enquanto víamos o filme. Ficou marcado, toda vez que falo sobre Mary Poppins, instantanemente, me vem à cabeça a imagem da torta de amendoim. Nota mental: Um dia preciso pedir para que minha mãe me ensine fazer esta receita.

Não teve jeito. Eu estava enfeitiçada. Aquele se tornou o meu filme preferido e é até hoje.

Neste ano o livro comemora seus 80 anos e, para celebrar em grande estilo, a editora Cosac Naify lançou esta nova versão traduzida por Joca Reiners Terron e com ilustrações de Ronaldo Fraga. É um livro de fazer babar qualquer colecionador!

O mais bacana é que eu só tinha visto o clássico filme com Julie Andrews e, portanto, mergulhar na história escrita por Pâmela Travers pela primeira vez foi uma viagem à infância.

O livro é tão encantador que li numa sentada. E a leitura ficou ainda mais deliciosa com um baita pedaço da Torta de Geleia de Framboesa ao meu lado. 😀

 A Torta de Geleia de Framboesa

Desafio você falar supercalifragilisticexpialidocious duas vezes seguidas...

Com ajuda do vento leste e um guarda-chuva que a faz voar, uma babá bastante diferente chega na Rua das Cerejeiras. Mary Poppins é contratada para ficar na casa da família Banks e cuidar dos pequenos Michael, Jane e os gêmeos John e Bárbara.

Toda terceira quinta-feira do mês, Mary Poppins tem o dia de folga e, como costuma fazer sempre, ela se prepara para tomar chá com o amigo Bert, um vendedor de fósforos que ganha uns trocados extras pintando paisagens nas calçadas. No entanto, bem naquele dia, Bert não se deu bem com as vendas e não tem dinheiro para levar Mary para o chá. Veja o trecho:

"Mary Poppins pensou na Torta de Geleia de Framboesa que sempre comiam
em seu Dia de Folga e ia suspirar, quando viu o rosto do Rapaz dos Fósforos. 
Então, muito esperta, ela transformou o suspiro num sorriso - um dos bons, 
com as duas pontas viradas para cima - e disse:
- Está tudo bem, Bert. Não se preocupe. Prefiro deixar o chá para depois. 
É uma refeição meio indigesta, de verdade.
E isso, se você pensar no quanto ela gosta de Tortas de Geleia de Framboesa,
foi muito gentil da parte de Mary Poppins".

Porém, para a sorte de Mary, Bert tem a ideia de passear dentro de uma das pinturas que ele fez na calçada. Bastou um pulo e os dois já estavam na paisagem escolhida e, ao caminharem por ela, dão de cara com uma mesa posta para o chá com uma pilha de Tortas de Geleia de Framboesa. Imagina se fosse fácil resolver os problemas assim? Quem, afinal, nunca sonhou com uma babá como Mary Poppins?

Curiosidades

Mary Poppins

“Mary Poppins” foi lançado em 1934 e é o primeiro de uma série de oito exemplares sobre a babá mágica. A escritora Pamela Travers escreveu a história baseada na própria infância. Inclusive, o patriarca da Família Banks foi inspirado em seu pai, Travers Goff.

Em 1938, Walt Disney tentou marcar várias reuniões com Pamela. A intenção era discutir uma possível adaptação para o cinema. Mas, Pamela não gostava da forma como os filmes da Disney tratavam as crianças e negou o pedido.

Disney não desistiu e permaneceu tentando até que, em 1958 (V-I-N-T-E anos depois), ele conseguiu fazer um acordo bem gordo financeiramente com a escritora. Pamela só aceitou porque estava passando por dificuldades financeiras. Contudo, ela tinha uma condição: carta branca para opinar em todas as etapas do projeto. E assim ela o fez, atrapalhando a produção de todas as formas que pôde. Tanto é que o filme só conseguiu ser lançado quase três anos depois.

Esta história está contada no recente “Walt nos Bastidores de Mary Poppins”, estrelado por Tom Hanks e Emma Thompson, ambos interpretando Walt Disney e Pamela Travers. A obra é muito interessante para quem, assim como eu, se encantou com o clássico lançado em 1964, dirigido por Robert Stevenson. Descobrir os bastidores e um pouco mais sobre a escritora é o grande trunfo do filme. Aliás, fica a dica: No fim do filme, espere até os créditos rolarem por completo, pois há diversas gravações reais da escritora criticando o roteiro. É hilário.

A minha canção preferida de “Mary Poppins” sempre foi a canção “Let’s Go Fly a Kite”. Olha só:

 

 

 

 

 

 

Aproveite e veja um trecho de “Walt nos Bastidores de Mary Poppins” que conta como foi os bastidores desta música:

 

 

 

 

 

 

Se você se interessou em saber ainda mais a fundo como foi a produção de “Mary Poppins”, vale comprar o livro “Mary Poppins e sua criadora”, de Valerie Lawson. Foi este exemplar que inspirou o filme com Tom Hanks e Emma Thompson. Ainda não o li, mas com certeza está na minha lista.

Ingredientes

Torta de Geleia de Framboesa

Para a massa

– 150 g de manteiga sem sal
– 1/2 copo com água quente
– 5 xícaras de farinha de trigo

Para a Geleia de Framboesa

– 6 xícaras de framboesas congeladas
– 2 xícaras de açúcar
– Suco de 1 limão

 

Torta de Geleia de FramboesaPasso a Passo

Misture todos os ingredientes da massa e sove até ela ficar lisinha. Deixe descansar na geladeira por 30 minutos.

Cubra uma forma de fundo removível com a massa e faça furinhos com um garfo.

Para fazer a geleia basta levar todos os ingredientes ao fogo. Depois que atingir fervura, deixe em fogo médio por 15 minutos até o creme engrossar.

A seguir, basta despejar a geleia dentro da massa e levar ao forno médio por 30 minutos.

Desenforme e sirva com chantily e uma boa xícara de chá – para ser fiel a obra, ok?

Minha dica é: Faça a torta, leia o livro, veja a obra de 1964 e, em seguida, assista “Walt nos Bastidores de Mary Poppins”. Garanto que será uma maratona e tanto. Não tem como não se apaixonar por Mary Poppins. Não tem!

Eu sou tão encantada com esta babá mágica chamada Mary Poppins que faço uma promessa: Não será a primeira vez que ela aparecerá por aqui, combinado?

Julie Andrews, Walt Disney e Pamela Travers posam para foto no lançamento do filme "Mary Poppins"

 

Denise Godinho

Meu nome é Denise Godinho. Decidi aprender a cozinhar e, para a empreitada ser mais interessante, vou fazer as receitas que estão escondidas dentro dos livros. E, acredite, são muitas!

Share This