Milagre Da Hóstia Que Virou Carne

Onde está a hóstia que virou carne?

Até hoje, na cidade de Lanciano, a conservação da carne e do sangue, deixados em estado natural por 12 séculos e expostos à ação dos agentes físicos, atmosféricos e biológicos, é considerada um fenômeno extraordinário.
Ver resposta completa

Qual foi o milagre da hóstia?

Conforme a crença, a beata Maria de Araújo recebeu a hóstia de Padre Cícero na cidade do Crato, no interior do Ceará, em 1989; quando pôs na boca, a hóstia se transformou em sangue.
Ver resposta completa

Como aconteceu o milagre de Lanciano?

Milagre Eucarístico de Lanciano – Itália A Carne é carne verdadeira. O Sangue é sangue verdadeiro. Saiba mais sobre este milagre eucarístico ocorrido na cidade de Lanciano e que teve a sua autenticidade comprovada por exames científicos A antiga Anxunum dos “Frentanos” (povo de Roma antiga) conserva, depois de mais de doze séculos, o primeiro e maior Milagre Eucarístico da Igreja Católica.

O Milagre aconteceu no século VII d.C. na pequena Igreja de S. Legonziano, pela dúvida que teve um monge da Ordem Basiliana sobre o verdadeira presença do Cristo na Eucaristia. Durante a celebração da Santa Missa, depois da Consagração, a hóstia transformou-se em Carne Viva e o vinho tornou-se Sangue Vivo, Aglutinado em cinco glóbulos irregulares e de diversas formas e tamanhos.

A Hóstia-Carne, como se pode ver muito bem hoje em dia, tem o mesmo tamanho da hóstia maior usada na Igreja latina, é de cor levemente escura e torna-se rósea em transparência. O Sangue é coagulado, de côr pálida tendente ao amarelo-ôcre. A Carne fica guardada, após 1713, num artístico ostensório de prata, elegantemente cinzelado, da escola napolitana.

O Sangue fica dentro de uma rica e antiga âmbula em cristal de rocha. Os frades Menores Conventuais guardam o Milagre desde 1252, por vontade de Landulfo, bispo da vila de Chieti, e bula pontifícia de 12 de Maio de 1252. Os monges da Ordem de São Basílio guardaram o Milagre até 1176 e os Beneditinos até 1252.

Em 1258 os Franciscanos construíram o santuário atual, que foi transformado em 1700 de românico-gótico em barroco. O “Milagre” foi colocado antes numa Capela ao lado do altar maior e depois, desde 1636, num altar lateral da Nave, onde ainda se conserva a antiga custódia de ferro lavrado e a epígrafe comemorativa.

Desde 1902 o Milagre está custodiado no segundo tabernáculo do altar monumental, erigido pelo povo de Lanciano no centro do presbitério. Após várias inspeções efetuada pela Igreja a partir de 1574, um exame científico foi efetuado em 1970-71 e outra vez em 1981 pelo Professor Odoardo Linoli, catedrático de Anatomia e Histologia Patológica e Química e Microscopia Clínica, Coadjuvado pelo Professor Ruggero Bertelli, da Universidade de Siena.

Os resultados das análises, efetuadas de forma rigorosamente científica e documentada por uma série de fotografias ao microscópio, são os seguintes: · A Carne é carne verdadeira. O Sangue é sangue verdadeiro. A Carne e o Sangue pertencem à espécie humana.

A Carne é um CORAÇÃO completo na sua estrutura essencial. A Carne contém, em seção, o miocárdio, o endocárdio, o nervo vago, no considarável espessor do miocárdio, o ventrículo cardíaco esquerdo. · A Carne e o Sangue pertencem ao mesmo grupo sanguíneo: AB. As proteínas observadas no Sangue encontram-se normalmente fracionadas em percentagem a respeito da situação seroproteínica do sangue vivo normal.

Encontram-se no sangue o seguintes elementos: Cloreto, Fósforo, Magnésio, Potássio, Sódio e Cálcio. A preservação da Carne e o do Sangue milagrosos, deixados ao estado natural durante doze séculos e expostos à ação de agentes físicos, atmosféricos, e biológicos constitue um Fenômeno Extraordinário.
Ver resposta completa

Qual foi o último milagre eucarístico?

Imagens e história (em polonês) do milagre eucarístico / Crédito: Diocese de Legnica LEGNICA, 20 Dez.22 / 06:00 am ( ACI ).- Um dos milagres eucarísticos mais recentes oficialmente aprovados pela Santa Sé ocorreu no Natal de 2013 na Polônia e contém tecido de um coração em agonia.

A Eucaristia é o sacramento da Igreja Católica no qual Jesus Cristo está realmente presente. Um milagre eucarístico, como o da Polônia, é um sinal sobrenatural que evidencia de forma singular a presença de Deus em toda hóstia consagrada. Em 2020, o padre Andrzej Ziombra, pároco da Igreja de são Jacinto em Legnica, Polônia, perto da fronteira com a Alemanha e a República Tcheca, contou à EWTN Polônia a história do milagre eucarístico de Legnica.

“No Natal de 2013, a hóstia consagrada caiu no chão durante a distribuição da Sagrada Comunhão e depois esta hóstia foi colocada na água. Após 10 dias, descobriu-se que havia uma mancha vermelha nela”, explicou o padre polonês. “Por isso, o bispo solicitou uma investigação científica e descobriu-se que, em primeiro lugar, os cientistas não sabiam explicar o motivo da mancha vermelha”, acrescentou.

No entanto, no exame “histopatológico detalhado, viu-se um fragmento do músculo cardíaco pelo microscópio”, disse padre Ziombra. Dom Stefan Cichy, então bispo de Legnica, criou uma comissão para analisar a hóstia. Em fevereiro de 2014, um pequeno fragmento foi colocado sobre um corporal e passou por vários testes.

O comunicado médico final do Departamento de Medicina Forense analisou que “na imagem histopatológica, encontrou que os fragmentos contêm partes fragmentadas do músculo estriado transversal. É mais semelhante ao músculo do coração”. As provas também determinaram que o tecido era de origem humana e acharam que apresentava sinais de sofrimento.

Dois anos depois, em 17 de abril de 2016, o próximo bispo de Legnica, dom Zbigniew Kiernikowski, aprovou a veneração da hóstia que sangra, a qual “tem as características distintivas de um milagre eucarístico”. Seguindo as recomendações da Santa Sé, que por meio da Congregação para a Doutrina da Fé deu o seu aval, o bispo pediu ao padre Ziombra “que prepare um local adequado para as relíquias, de forma que os fiéis as possam venerar”.

Padre Ziombra disse à EWTN Polônia que nestes anos ele reuniu várias histórias de pessoas que vieram para a paróquia de diferentes partes do mundo e que experimentaram “conversões inesperadas em suas vidas”. Mesmo as pessoas hostis à fé “mudaram radicalmente sua vida, sua atitude para com Deus e se tornaram crentes muito apaixonados”, acrescentou.

O padre também comentou que “este é um sinal dirigido a cada um e deve ser recebido de forma muito pessoal”, disse padre Ziombra. Em segundo lugar, o padre polonês destacou que “na hóstia consagrada foi encontrado um coração moribundo, o que sem dúvida destaca o caráter do sacrifício de Jesus”. “Que o Senhor Jesus tenha dado a sua vida por cada um de nós, por mim, teve a ver com a sua paixão cruel, com o seu sofrimento, que por sua vez me chama, como católico, a fazer da minha vida um sacrifício, para que meu sacerdócio seja verdadeiramente incorporado a este sacrifício com total dedicação; de modo que a vida de cada família católica seja incorporada nesse sacrifício”, disse o padre Ziombra.

O filósofo e teólogo, Philip Kosloski, autor do livro “Sobre os rastros de um santo: A visita de João Paulo II a Wisconsin”, escreveu em 2016 um artigo sobre a mensagem do milagre eucarístico de Legnica. “Parece que uma causa do milagre foi o pouco cuidado com o Santíssimo Sacramento que caiu durante a comunhão”, escreveu ele.

  1. Os acidentes acontecem e não quero acusar alguma pessoa ou algum sacerdote que deixou a hóstia cair.
  2. Entretanto, isso nos recorda um tema importante: o uso das patenas”.
  3. A patena é o pequeno prato dourado que o coroinha usa para colocá-lo debaixo da boca ou das mãos da pessoa que recebe a comunhão.
  4. Deste modo, se a hóstia ou alguma partícula cai, a patena evita que caia no chão.

“A prática foi abandonada por muitos na Igreja durante as últimas décadas”, apesar de o documento de 2004, Redemptionis Sacramentum, da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, exigir seu uso. O Missal Romano também requer o uso da patena e que esta esteja sobre a credencia ou mesa onde permanecem os paramentos litúrgicos antes de ser levados a altar.
Ver resposta completa

Qual o padre que duvidou da Eucaristia?

Certa vez, quando o padre Pedro de Praga, celebrou uma Missa na cripta de Santa Cristina, em Bolsena, Itália, aconteceu um milagre eucarístico: da hóstia consagrada começaram a cair gotas de sangue sobre o corporal após a consagração.
Ver resposta completa

O que é feito a hóstia sagrada?

O Vaticano deixou claro: hóstia sem glúten não é hóstia! É o que determina a circular para o culto divino e a disciplina dos sacramentos. – Sandra Coutinho Nova York, EUA O Vaticano definiu alguns critérios para a hóstia e o vinho usados nas missas. A pedido do Papa Francisco, uma carta foi dirigida a todos os bispos para relembrar as regras do que vale e o que não vale na Eucaristia.

Nos Estados Unidos, desde que essa diretriz foi publicada pela primeira vez, em 2003, a orientação é que as pessoas que têm alergia ao glúten tomem apenas o vinho consagrado. Os Estados Unidos são o país com a quarta maior população católica do mundo, são 77 milhões de féis, atrás apenas do Brasil, do México e das Filipinas. A circular do Vaticano diz que a hóstia feita de trigo geneticamente modificado ou com baixo teor de glúten é válida, mas o uso de frutas, açúcar e mel é considerado um abuso grave. Pela tradição católica, o pão e o vinho representam o corpo e o sangue de Cristo durante a missa, mas apenas se forem produzidos de acordo com as regras eclesiásticas. As orientações também valem para o vinho, que precisa ser feito do “fruto da vida puro, sem corrupções”, diz o documento.

O Vaticano publicou a nova orientação depois que a venda da hóstia se tornou comum em supermercados e até pela internet. É fácil encontrar hóstia sem glúten vendida pela internet. A igreja percebeu que a produção tinha saído do controle e decidiu publicar essa nova orientação para os os fiéis separarem, literalmente, o joio do trigo. saiba mais tópicos: : Vaticano define critérios para a hóstia e o vinho usados nas missas
Ver resposta completa

Quando a hóstia virou carne?

Lista dos 10 maiores Milagres Eucarísticos A revista “Jesus” das Edições Paulinas de Roma, publicou uma matéria do escritor Antonio Gentili, em abril de 1983, pp.64-67, onde apresenta uma resenha de milagres eucarísticos. Há tempos, foi traçado um “Mapa Eucarístico”, que registra o local e a data de mais de 130 milagres, metade dos quais ocorridos na Itália.

São muitíssimos os milagres eucarísticos no mundo todo. Por exemplo, Marthe Robin, uma francesa, milagre eucarístico vivo, alimentou-se durante mais de quarenta anos só de Eucaristia. Teresa Newmann, na Alemanha, durante mais de 36 anos alimentou-se só de Eucaristia.1 – Lanciano – Itália – no ano 700 Em Lanciano – séc.

VIII. Um monge da ordem de São Basílio estava celebrando na Igreja dos santos Degonciano e Domiciano. Terminada a Consagração, que ele realizara, a hóstia transformou-se em carne e o vinho em sangue depositado dentro do cálice. O exame das relíquias, segundo critérios rigorosamente científicos, foi efetuado em 1970-71 e outra vez em 1981 pelo Professor Odoardo Linoli, catedrático de Anatomia e Histologia Patológica e Química e Microscopia Clínica, Coadjuvado pelo Professor Ruggero Bertelli, da Universidade de Siena.

  1. Resultados: 1) A hóstia é realmente constituída por fibras musculares estriadas, pertencentes ao miocárdio.2) Quanto ao sangue, trata-se de genuíno sangue humano.
  2. Mais: o grupo sangüíneo ‘A’ que pertencem os vestígios de sangue, o sangue contido na carne e o sangue do cálice revelam tratar-se sempre do mesmo sangue grupo ‘AB’ (sangue comum aos Judeus).

Este é também o grupo que o professor Pierluigi Baima Bollone, da universidade de Turim, identificou no Santo Sudário.3) Apesar da sua antigüidade, a carne e o sangue se apresentam com uma estrutura de base intacta e sem sinais de alterações substanciais; este fenômeno se dá sem que tenham sido utilizadas substâncias ou outros fatores aptos a conservar a matéria humana, mas, ao contrário, apesar da ação dos mais variados agentes físicos, atmosféricos, ambientais e biológicos.2 – Orvieto – Bolsena – Itália – 1263 Inicio da Festa de Corpus Christi A Festa de “Corpus Christi” é a celebração em que solenemente a Igreja comemora o Santíssimo Sacramento da Eucaristia; sendo o único dia do ano que o Santíssimo Sacramento sai em procissão às nossas ruas.

Nesta festa os fiéis agradecem e louvam a Deus pelo inestimável dom da Eucaristia, na qual o próprio Senhor se faz presente como alimento e remédio de nossa alma. A Eucaristia é fonte e centro de toda a vida cristã. Nela está contido todo o tesouro espiritual da Igreja, o próprio Cristo. A Festa de Corpus Christi surgiu no séc.

XIII, na diocese de Liège, na Bélgica, por iniciativa da freira Juliana de Mont Cornillon, (†1258) que recebia visões nas quais o próprio Jesus lhe pedia uma festa litúrgica anual em honra da Sagrada Eucaristia. Aconteceu que quando o padre Pedro de Praga, da Boêmia, celebrou uma Missa na cripta de Santa Cristina, em Bolsena, Itália, ocorreu um milagre eucarístico: da hóstia consagrada começaram a cair gotas de sangue sobre o corporal após a consagração.

  1. Dizem que isto ocorreu porque o padre teria duvidado da presença real de Cristo na Eucaristia.
  2. O Papa Urbano IV (1262-1264), que residia em Orvieto, cidade próxima de Bolsena, onde vivia S.
  3. Tomás de Aquino, ordenou ao Bispo Giacomo que levasse as relíquias de Bolsena a Orvieto.
  4. Isso foi feito em procissão.

Quando o Papa encontrou a Procissão na entrada de Orvieto, pronunciou diante da relíquia eucarística as palavras: “Corpus Christi”. Em 11/08/1264 o Papa aprovou a Bula ” Transiturus de mundo”, onde prescreveu que na 5ª feira após a oitava de Pentecostes, fosse oficialmente celebrada a festa em honra do Corpo do Senhor.

São Tomás de Aquino foi encarregado pelo Papa para compor o Ofício da celebração. O Papa era um arcediago de Liège e havia conhecido a Beata Cornilon e havia percebido a luz sobrenatural que a iluminava e a sinceridade de seus apelos. Em 1290 foi construída a belíssima Catedral de Orvieto, em pedras pretas e brancas, chamada de “Lírio das Catedrais”.

Antes disso, em 1247, realizou-se a primeira procissão eucarística pelas ruas de Liège, como festa diocesana, tornando-se depois uma festa litúrgica celebrada em toda a Bélgica, e depois, então, em todo o mundo no séc. XIV, quando o Papa Clemente V confirmou a Bula de Urbano IV, tornando a Festa da Eucaristia um dever canônico mundial.

Em 1317, o Papa João XXII publicou na Constituição Clementina o dever de se levar a Eucaristia em procissão pelas vias públicas. A partir da oficialização, a Festa de Corpus Christi passou a ser celebrada todos os anos na primeira quinta-feira após o domingo da Santíssima Trindade. Todo católico deve participar dessa Procissão por ser a mais importante de todas que acontecem durante o ano, pois é a única onde o próprio Senhor sai às ruas para abençoar as pessoas, as famílias e a cidade.

Em muitos lugares criou-se o belo costume de enfeitar as casas com oratórios e flores e as ruas com tapetes ornamentados, tudo em honra do Senhor que vem visitar o seu povo. Começaram assim as grandes procissões eucarísticas, as adorações solenes, a Bênção com o Santíssimo no ostensório por entre cânticos.

You might be interested:  Qual O Dia Da Promoção Da Carne No Supermercado Extra?

Surgiram também os Congressos Eucarísticos, as Quarenta Horas de Adoração e inúmeras outras homenagens a Jesus na Eucaristia. Muitos se converteram e todo o mundo católico.3 – Ferrara – 28/03/1171 Aconteceu este milagre na Basílica de Santa Maria in Vado, no século XII. Propagava-se com perigo a heresia de Berengário de Tours (†1088), que negava a Presença real de Cristo na Eucaristia.

Aos 28 de março de 1171, o Pe. Pedro de Verona, com três sacerdotes celebravam a Missa de Páscoa; no momento de partir o pão consagrado, a Hóstia se transformou em carne, da qual saiu um fluxo de sangue que atingiu a parte superior do altar, cujas marcas são visíveis ainda hoje.

Há documentos que narram o fato: um “Breve’ do Cardeal Migliatori (1404). – Bula de Eugênio IV (1442), cujo original foi encontrado em Roma em 1975. Mas, a descoberta mais importante deu-se em Londres, em 1981, foi encontrado um documento de 1197 narrando o fato.4 – Offida – Itália – 1273 Ricciarella Stasio – devota imprudente, realizava práticas supersticiosas com a Eucaristia; em uma dessas profanações, a Hóstia se transformou em carne e sangue.

Foram entregues ao pe. Giacomo Diattollevi, e são conservadas até hoje. Há muitos testemunhos históricos sobre este fato.5 – Sena – Cáscia – Itália – 1330 Hoje este milagre é celebrado em Cássia, terra de Santa Rita de Cássia. Em 1330, um sacerdote foi levar o viático a um enfermo e colocou indevidamente, de maneira apressada e irreverente, uma Hóstia dentro do seu Breviário para levá-la ao doente grave.

  1. No momento da Comunhão, abriu o livro e viu que a Hóstia se liquefez e, quase reduzida a sangue, molhou as páginas do Livro.
  2. Então o sacerdote negligente apressou-se a entregar o livro e a Hóstia a um frade agostiniano de Sena, o qual levou para Perúgia a pagina manchada de sangue e para Cáscia a outra página onde a Hóstia ficou presa.

A primeira página perdeu-se em 1866 mas a relíquia chamada de “Corpus Domini” é atualmente venerada na basílica de Santa Rita.6 – Turim – Itália – 1453 Na Alta Itália ocorria uma uma guerra furiosa pelo ducado de Milão. Os Piemonteses saquearam a cidade; ao chegarem a Igreja, forçaram o Tabernáculo.

Tiraram o ostensório de prata, no qual se guardava o corpo de Cristo ocultando-no dentro de uma carruagem juntamente com os outros objetos roubados, e dirigiram-se para Turim. Crônicas antigas relatam que, na altura da Igreja de São Silvestre, o cavalo parou bruscamente a carruagem – o que ocasionou a queda, por terra, do ostensório – o ostensório se levantou nos ares “com grande esplendor e com raios que pareciam os do sol”.

Os espectadores chamaram o Bispo da cidade, Ludovico Romagnano, que foi prontamente ao local do prodígio. Quando chegou, “O ostensório caiu por terra, ficando o corpo de Cristo nos ares a emitir raios refulgentes”. O Bispo, diante dos fatos, pediu que lhe levassem um cálice.

Dentro do cálice, desceu a hóstia, que foi levada para a catedral com grande solenidade. Era o dia 9 de junho de 1453. Existem testemunhos contemporâneos do acontecimento ( Atti Capitolari de 1454 a 1456). A Igreja de “Corpus Domini” (1609), que até hoje atesta o prodígio.7 – Sena – Itália – 1730 Na Basília de São Francisco, em Sena, pátria de Santa Catarina de Sena, durante a noite de 14 para 15 de março de 1730, foram jogadas no chão 223 hóstias consagradas, por ladrões que roubaram o cibório de prata onde elas estavam.

Dois dias depois, as Hóstias foram achadas em caixa de esmolas misturas com dinheiro. Elas foram limpadas e guardadas na Basílica de São Francisco; ninguém as consumiu; e logo o milagre aconteceu visto que com o passar do tempo as Hóstias não se estragaram, o que é um grande milagre.

A partir de 1914 foram feitos exames químicos que comprovaram pão em perfeito estado de conservação.8 – Milagre Eucarístico de Santarém – Portugal (1247) Aconteceu no dia 16 de fevereiro de 1247, em Santarém, 65 km ao norte de Lisboa. O milagre se deu com uma dona de casa, Euvira, casada com Pero Moniz, a qual sofrendo com a infidelidade do marido, decidiu consultar uma bruxa judia que morava perto da igreja da Graça.

Esta bruxa prometeu-lhe resolver o problema se como pagamento recebesse uma Hóstia Consagrada. Para obter a Hóstia, a mulher fingiu-se de doente e enganou o padre da igreja de S. Estevão, que lhe deu a sagrada Comunhão num dia de semana. Assim que ela recebeu a Hóstia, sem o padre notar, colocou-a nas dobras do seu véu.

  • De imediato a Hóstia começou a sangrar.
  • Assustada, a mulher correu para casa na Rua das Esteiras, perto da Igreja e escondeu o véu e a Hóstia numa arca de cedro onde guardava os linhos lavados.
  • À noite o casal foi acordado com uma visão espetacular de Anjos em adoração à sagrada Hóstia sangrando.
  • Varias investigações eclesiásticas foram feitas durante 750 anos.

As realizadas em 1340 e 1612 provaram a sua autenticidade. Em 5 de abril de 1997, por decreto de D. Antonio Francisco Marques, Bispo de Santarém, a Igreja de S. Estevão, onde está a relíquia, foi elevada a Santuário Eucarístico do Santíssimo Sangue.9 – Faverney, na França, em 1600 O Milagre Eucarístico que aconteceu em Faverney, na França consistiu numa notável demonstração sobrenatural de superação da lei da gravidade.

Faverney está localizado a 20 quilômetros de Vesoul, distante 68,7 quilômetros de Besançon.Um dos noviços chamado Hudelot, notou que o Ostensório que se encontrava junto Santíssimo Sacramento sobre o Altar, elevou-se e ficou suspenso no ar e que as chamas se inclinavam e não tocavam nele. Os Frades Capuchinhos de Vesoul também apressaram-se para observar e testemunhar o fenômeno.

Embora os monges com a ajuda do povo, conseguiram apagar o incêndio que queria consumir toda a Igreja, o Milagre não cessou, o Ostensório com JESUS Sacramentado continuou flutuando no espaço.10 – Em Stich, Alemanha, 1970 Na região Bávara da Alemanha, junto à fronteira suíça, em 9 de junho de 1970, enquanto um padre visitante da Suíça estava celebrando uma Missa numa capela, uma série incomum de eventos aconteceu.

Depois da Consagração, o celebrante notou que uma pequena mancha avermelhada começou a aparecer no corporal, no lugar onde o cálice tinha estado descansando. Desejando saber se o cálice tinha começado a vazar, o padre correu a mão dele debaixo do cálice, mas achou-o completamente seco. A esta altura, a mancha crescera, atingindo o tamanho de uma moeda de dez centavos.

Depois de completar a Missa, o padre inspecionou todo o altar, mas não conseguiu encontrar qualquer coisa que pudesse ser remotamente a fonte da mancha avermelhada. Ele trancou o corporal que apresentava a mancha num local seguro, até que pudesse discutirassunto com o pároco.
Ver resposta completa

Qual o maior milagre da Igreja Católica?

Reconhecimento e Comprovação – Arquivo científico sobre o fenômeno A partir de 1574, aos reconhecimentos eclesiásticos do milagre, acrescentaram-se pronunciamentos científicos. Em novembro de 1970 os Frades Menores Conventuais, sob cuja responsabilidade se encontravam as substâncias, submeteram-nas a análise científica que foi confiada aos Dr.

  1. Odoardo Linoli, Chefe de Serviço dos Hospitais Reunidos de Arezzo e Livre Docente de Anatomia e de Histologia Patológica e de Química e Microscopia Clínica e ao professor Ruggero Bertelli, anatomista e professor da Universidade de Siena no fim dos anos 60.
  2. Após uma série de análises e constatações, o parecer foi publicado em ” Quaderni Sclavo di diagnostica clinica e di laboratório “, 1971, fasc.3, Grafiche Meini, Siena, que afirma tratar-se de um milagre comprovado e inexplicável.

O Milagre Eucarístico de Lanciano é considerado um dos mais famosos milagres eucarísticos relatados pela Igreja Católica, porém não é o único: aproximadamente 130 milagres eucarísticos foram relatados. Conta-se que na cidade de Cássia, na Itália também já aconteceu um fenômeno parecido.
Ver resposta completa

Qual o milagre eucarístico mais famoso testemunhado pela Igreja?

Acreditaste porque me viste? – Séculos mais tarde, as pessoas começaram a questionar outros aspectos da Eucaristia, principalmente o da presença real de Cristo no sacramento. A partir de tantos fatos extraordinários, somos chamados a enxergar, com os olhos da fé, a ação maravilhosa de Deus na celebração “ordinária” do sacramento.

Foi então que começaram a surgir os grandes e mais conhecidos milagres eucarísticos, alguns preservados até os dias atuais: ; em Ferrara, em 1171; em Santarém, em Orvieto e em Paris, nos anos 1200; em Siena, em 1730 etc. Em alguns destes, as hóstias consagradas sangravam; em outros, elas se transformavam em carne humana, e a aparência do vinho, em sangue.

Em outras ocasiões ainda, a hóstia simplesmente levitava, ou era preservada por um longo período de tempo. Fatos semelhantes acontecem com bastante frequência no mundo inteiro, ainda hoje. Tome-se como exemplo, no sul da Índia, em 5 de maio de 2001, quando uma figura de Nosso Senhor coroado de espinhos foi vista em uma hóstia exposta no ostensório.

  1. O pároco do lugar, Frei Johnson Karoor, dá o seu testemunho: “Abri a igreja para a celebração da missa, me preparei e fui abrir o Tabernáculo para ver que coisa tinha acontecido à Eucaristia que estava no Ostensório.
  2. Imediatamente reparei que nela estava figurado um rosto humano.
  3. Fiquei muito perturbado e pedi aos fiéis que se ajoelhassem e começassem a rezar.

Pensava que só eu via o rosto e perguntei ao coroinha que coisa ele via no Ostensório. Ele respondeu: ‘Vejo a figura de um homem.’ Notei que os fiéis olhavam fixamente o Ostensório. Começamos a adoração e a figura do homem, com o passar do tempo era cada vez mais nítida.

Não tive a coragem de falar nada e comecei a chorar.” A intenção de tantos prodígios é clara: manifestar aos homens a verdade da transubstanciação ; mostrar que, quando o sacerdote pronuncia, na própria pessoa de Cristo ( in persona ipsius Christi ), as palavras da consagração, o pão não é mais pão, e o vinho já não é vinho, mas o corpo, sangue, alma e divindade de Nosso Senhor.

Os olhos de quem presencia ou lê um milagre eucarístico devem dirigir-se, portanto, a cada celebração da Santa Missa: a partir de tantos fatos extraordinários, somos chamados a enxergar, com os olhos da fé, a ação maravilhosa de Deus na celebração “ordinária” do sacramento.

No mais famoso milagre eucarístico já testemunhado pela Igreja, em Lanciano, a carne e o sangue vivos de Cristo apareceram nas mãos de um monge que duvidava. Ao chamar os fiéis para admirarem o que acabava de acontecer, ele não se envergonhou em dizer que “o Santo Deus quis desvendar-se e tornar-se vísivel” a fim de “confundir a minha incredulidade”.

Uma vez curado desse mal, porém, o monge deveria renovar e fazer crescer todos os dias a sua fé. Lanciano não se repetiria mais. O milagre de toda Missa, no entanto, continuaria a acontecer diariamente, e ele precisava colher os frutos desses santos mistérios.

É por isso que todas as pessoas são chamadas a ir além dos milagres. Quando ficamos impressionados ou com alguma hóstia preservada de um milagre eucarístico, Jesus nos repete as mesmas palavras que dirigiu certa vez a São Tomé: “Acreditaste porque me viste? Bem-aventurados os que creram sem ter visto!” ( Jo 20, 29).

Felizes os que deram crédito às palavras de Cristo, mesmo sem terem visto milagre nenhum! Felizes os que ouvem as palavras do sacerdote na Missa e sabem que o próprio Deus está presente ali, porque não nos engana e nem pode enganar-Se! Felizes os que são capazes de afirmar, com o Catecismo de São Pio X, o motivo primeiro de nossa fé: “Eu acredito que no Sacramento da Eucaristia está verdadeiramente presente Jesus Cristo, porque Ele mesmo o disse, e assim no-lo ensina a Santa Igreja” Milagre Da Hóstia Que Virou Carne 1 – Lanciano – Itália no ano 700 Em Lanciano, séc. VIII, um monge da ordem de São Basílio estava celebrando na igreja dos santos Degonciano e Domiciano. Terminada a consagração que ele realizara, a hóstia transformou-se em carne e o vinho, em sangue, depositados dentro do cálice.

O exame das relíquias, segundo critérios rigorosamente científicos, ocorrido pela última vez em 1970, levou aos seguintes resultados muito significativos: 1) A hóstia, que se transformou em carne humana, segundo a tradição, é realmente constituída por fibras musculares estriadas, pertencentes ao miocárdio.

Acrescente-se que a massa sutil de carne humana, que foi retirada dos bordos, deixando amplo vazio no centro, é totalmente homogênea. Em outras palavras: não apresenta lesões, como as apresentaria se se tratasse de um pedaço de carne cortada com uma lâmina.2) Quanto ao sangue, trata-se de genuíno sangue humano.

Mais: o grupo sanguíneo “A”, ao qual pertencem os vestígios de sangue, o sangue contido na carne e o sangue do cálice revelam tratar-se sempre do mesmo sangue grupo “AB” (sangue comum aos judeus). Este é também o grupo sanguíneo que o professor Pierluigi Baima Bollone, da Universidade de Turim, identificou na Sagrada Mortalha (Santo Sudário).3) Apesar de sua antiguidade, a carne e o sangue se apresentam com uma estrutura de base intacta e sem sinais de alterações substanciais; esse fenômeno se dá sem que tenham sido utilizadas substâncias ou outros fatores aptos a conservar a matéria humana, mas, ao contrário, ele ocorre apesar da ação dos mais variados agentes físicos, atmosféricos, ambientais e biológicos.

A linguagem das relíquias de Lanciano é clara e fascinante: verdadeira carne e verdadeiro sangue humano, na sua inalterada composição que desafia os tempos; trata-se mesmo da carne do coração, daquele coração do qual, conforme a fé cristã, jorrou o Sangue, que dá a vida.2 – Orvieto – Bolsena – Itália – 1263 Início da Festa de Corpus Christi.

  1. A festa do Corpo e Sangue de Cristo remonta ao ano de 1208, quando uma monja, Santa Juliana de Mont-Cornillon (†1258), foi inspirada por Deus a constituí-la e a divulgá-la.
  2. O próprio Jesus tinha pedido à santa francesa a introdução da festa de “Corpus Domini” no calendário litúrgico da Igreja.
  3. Aconteceu que o padre Pedro de Praga, da Boêmia, ao celebrar uma Santa Missa na cripta de Santa Cristina, em Bolsena, foi surpreendido pelo milagre durante a consagração: da hóstia consagrada caíram gotas de Sangue sobre o corporal.

Até hoje ele está em exposição na belíssima Catedral de Orvieto. O Papa Urbano IV (1262-1264) residia em Orvieto e ordenou ao Bispo Giacomo levar as relíquias de Bolsena à cidade onde habitava. O Sumo Pontífice, então, emitiu a Bula “Transiturus de mundo”, em 11/08/1264, na qual prescreveu que, na quinta-feria após a oitava de Pentecostes, fosse celebrada a festa em honra do Corpo do Senhor,

  • São Tomás de Aquino foi encarregado pelo Santo Padre para compor o ofício da celebração.
  • Em 1290, foi construída a Catedral de Orvieto, chamada de “Lírio das Catedrais”.3 – Ferrara – 28/03/1171 Aconteceu esse milagre na Basílica de Santa Maria in Vado, no século XII.
  • Propagava-se, com perigo à fé católica, a heresia de Berengário de Tours (†1088), que negava a presença real de Cristo na Eucaristia.

Aos 28 de março de 1171, padre Pedro de Verona e mais três sacerdotes concelebravam a Santa Missa de Páscoa. No momento de partir o Pão Consagrado, a Hóstia se transformou em Carne, da qual saiu um fluxo de Sangue que atingiu a parte superior do altar, cujas marcas são visíveis ainda hoje.

You might be interested:  Quem Tem Pedra Na Vesícula Pode Comer Carne De Porco?

Há documentos que narram o fato: um “Breve” do Cardeal Migliatori (1404) e a Bula de Eugênio IV (1442), cujo original foi encontrado em Roma em 1975. Mas a descoberta mais importante aconteceu em Londres, em 1981, quando foi encontrado um documento de 1197 narrando o fato.4 – Offida – Itália 1273 Ricciarella Stasio – devota imprudente, realizava práticas supersticiosas com a Eucaristia; em uma dessas profanações, a Hóstia se transformou em Carne e Sangue.

Estes foram entregues ao padre Giacomo Diattollevi e são conservadas até hoje. Há muitos testemunhos históricos sobre esse fenômeno extraordinário.5 – Sena – Cáscia – Itália – 1330 Hoje, esse milagre é celebrado em Cássia, terra de Santa Rita de Cássia.

  1. Em 1330, um sacerdote foi levar o viático a um enfermo e colocou indevidamente, de maneira apressada e irreverente, uma Hóstia Consagrada dentro do seu breviário para levá-la a um doente em estado grave.
  2. No momento da comunhão, abriu o livro e viu que a Hóstia se liquefez e, quase reduzida a Sangue, molhou as páginas do livro.

Então o religioso negligente apressou-se a entregar o livro e a Hóstia a um frade agostiniano de Sena, o qual levou para Perúgia a página manchada de Sangue e para Cássia a outra página onde a Hóstia ficara presa. A primeira página perdeu-se em 1866, mas a relíquia chamada de Corpus Domini é atualmente venerada na basílica de Santa Rita.6 – Turim – Itália – 1453 Na Alta Itália, ocorria uma guerra furiosa pelo ducado de Milão.

  • Os piemonteses saquearam a cidade; ao chegarem à igreja, forçaram o tabernáculo.
  • Tiraram o ostensório de prata, no qual se guardava o Corpo de Cristo, ocultando-no dentro de uma carruagem, juntamente com os outros objetos roubados e dirigiram-se para Turim.
  • Crônicas antigas relatam que, na altura da igreja de São Silvestre, o cavalo parou bruscamente a carruagem, o que ocasionou a queda, por terra, do ostensório, e este se levantou nos ares”com grande esplendor e com raios que pareciam os do sol”.

Os espectadores chamaram o bispo da cidade na época, Ludovico Romagnano, que foi prontamente ao local do prodígio. Quando chegou, “o ostensório caiu por terra, ficando o Corpo de Cristo nos ares a emitir raios refulgentes”. O bispo, diante dos fatos, pediu que lhe levassem um cálice.

  • Dentro deste desceu a Hóstia, que foi levada para a catedral com grande solenidade.
  • Era o dia 9 de junho de 1453.
  • Existem testemunhos contemporâneos do acontecimento (“Atti Capitolari” de 1454 a 1456).
  • A igreja de “Corpus Domini” (1609) até hoje atesta o fato milagroso.7 – Sena – Itália – 1730 Na Basília de São Francisco, em Sena, pátria de Santa Catarina de Sena, durante a noite de 14 para 15 de março de 1730, foram jogadas no chão 223 Hóstias Consagradas por ladrões que roubaram o cibório de prata onde elas estavam.

Dois dias depois, as Hóstias foram achadas em caixa de esmolas misturas com dinheiro. Elas foram higienizadas e guardadas na Basílica de São Francisco; ninguém as consumiu; e logo o milagre aconteceu, visto que, com o passar do tempo, elas não estragaram, o que é um grande milagre.

A partir de 1914, foram feitos exames químicos que comprovaram pão em perfeito estado de conservação.8 – Milagre Eucarístico de Santarém – Portugal (1247) Aconteceu, no dia 16 de fevereiro de 1247, em Santarém, a 65 km ao norte de Lisboa. Euvira, casada com Pero Moniz, sofrendo com a infidelidade do marido, decidiu consultar uma bruxa judia que morava perto da igreja da Graça.

Esta prometeu-lhe resolver o problema se como pagamento recebesse uma Hóstia Consagrada. Para obtê-ta, a mulher fingiu-se de doente e enganou o padre da igreja de S. Estevão, que lhe deu a sagrada comunhão num dia de semana. Ela recebeu a Hóstia, colocou-a nas dobras do seu véu.

De imediato esta começou a sangrar. Assustada, a mulher correu para casa na Rua das Esteiras, perto da igreja, e escondeu o véu e a Hóstia numa arca de cedro onde guardava os linhos lavados. À noite, o casal foi acordado com uma visão espetacular de anjos em adoração à sagrada Hóstia sangrando. O casal, arrependido e convertido, de madrugada, chamou o pároco e, acompanhados de inúmeros clérigos e leigos, levaram a Hóstia de volta para a igreja de S.

Estevão, onde continuou a sangrar durante três dias. Enfim, a sagrada comunhão foi depositada em um relicário, feito de cera de abelhas derretida, onde permaneceu num cálice até 1340, quando se afirma ter havido um outro milagre foi descoberto que ficou encerrada numa âmbula de cristal.

  • As manchas cristalizadas de Sangue se solidificaram na cera e constituíram-se nas Relíquias do Preciosíssimo Sangue, como se pode ver ainda hoje, intactas.
  • Próximo da Igreja está a Ermida (casa do casal).
  • Várias investigações eclesiásticas foram feitas durante 750 anos.
  • As realizadas em 1340 e 1612 provaram a sua autenticidade.

Em 5 de abril de 1997, por decreto de D. Antonio Francisco Marques, Bispo de Santarém, a igreja de S. Estevão, onde está a relíquia, foi elevada a Santuário Eucarístico do Santíssimo Sangue. Fonte: Professor Felipe Aquino / Padre Paulo Ricardo : Os Milagres Eucarísticos – Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro
Ver resposta completa

Porque o padre molha a hóstia no vinho?

De acordo com Nikolaus Gihr no livro ‘O Santo Sacrifício da Missa’ (The Holy Sacrifice of the Mass), o gesto de colocar uma pequena partícula da hóstia no cálice tem raízes na Igreja Primitiva e é um costume que lembra a unidade com o Papa e o bispo local.
Ver resposta completa

Quem criou a hóstia?

Eucaristia na Bíblia – Segundo os textos do Novo Testamento, eucaristia é o rito cultural (sacramento e sacrifício) instituído por Jesus Cristo na última ceia na qual Ele mesmo se oferece a Deus e se comunga o Seu corpo e sangue em que se converteram substancialmente as espécies pão e vinho.

A dupla afirmação “isto é o meu corpo” e “isto é o meu sangue” e a separação dos elementos da vida (corpo e sangue representados no pão e vinho) simbolizam e atualizam (de acordo com Marcos 14:24) a morte de Cristo como vítima: o corpo que é imolado e o sangue que é derramado, em clara referência ao sacrifício do Calvário.Em Inácio de Antioquia (no ano 110), o rito recebe pela primeira vez o nome Eucaristia e afirma-se como o centro do culto que os cristãos praticam juntamente com a leitura de textos sagrados.Veja também:,, e,

: Eucaristia: o que é e significado deste sacramento
Ver resposta completa

Quem foi o soldado Lanciano?

Lanciano – O Soldado Escolhido Por Deus – 9788553392049 – Livros na Amazon Brasil Lanciano significa: o homem da lança. Essa é a história do soldado escolhido por Deus para ferir o coração do Seu Filho. Gaio Cássius Longuines, mais conhecido como São Longuines, deferiu o golpe mais cruel da história da humanidade.

  1. Quem foi esse homem? Um lendário guerreiro, que não conhecia a derrota, depara-se com seus piores “oponentes”: orgulho, traição, doença, medo, fracasso, desilusão, vício.
  2. Enfim, ele conhece de perto o amargo gosto da derrota, alguém com o passado épico encontrou o caminho para a verdadeira vitória da vida, de maneira épica, onde ele menos esperava.

Indica̤̣o: Adolescentes a partir de 11 anos. : Lanciano РO Soldado Escolhido Por Deus Р9788553392049 РLivros na Amazon Brasil
Ver resposta completa

Qual foi o grande milagre?

Os maiores milagres que Jesus Cristo realizou na bíblia Durante a sua passagem pelo mundo e seu ministério, Jesus realizou muitos milagres. Era por meio deles que sua divindade podia ser observada. E fazia com que milhares de pessoas o reconhecesse como o verdadeiro filho de Deus.

Conhecido também como O Messias, ele impressionou a muitos com seus milagres, sua humildade e amor para com seus seguidores. Sendo o maior exemplo a ser seguido naquela época e até os dias de hoje. Na bíblia é possível encontrar registro de mais de 30 milagres feitos por Jesus. Sendo a pessoa que fez mais milagres registrada na bíblia.

No Evangelho de João diz que muitos dos milagres de Jesus não foram escritos na bíblia pois foram muito. Todos os milagres fizeram com que o amor de Jesus pelos seus seguidores e a humanidade ficasse em máxima evidência. Seu último milagre foi a sua própria ressureição após sua morte na cruz para perdoar os pecados da humanidade.

  1. Os maiores milagres de Jesus foram: Transformação da água em vinho Sendo o primeiro milagre feito por Jesus.
  2. Quando em um casamento havia acabado o vinho, Jesus pediu para que enchesse o copo de água e os transformou em vinho.
  3. Seus discípulos ficaram maravilhados e creram que ele era o filho de Deus.
  4. A mulher do fluxo de sangue Enquanto Jesus passava, uma mulher que sofria de intenso fluxo por anos conseguiu tocar sua orla e foi curada instantaneamente.

Todos a sua volta puderam testemunhar o milagre. O milagre da multiplicação Jesus sempre estava rodeado por milhares, todos queriam ficar perto dele e ouvir suas palavras. Houve um dia que a multidão não tinha mais do que se alimentar. Em um gesto de carinho ele multiplicou um pão e dois peixes e alimentou toda a multidão.

  • Jesus liberta um homem de demônios Nesse milagre Jesus expulsou os demônios que afligiam um homem.
  • Nesse ficou visível a autoridade de Jesus, pois até os demônios o obedeciam.
  • Jesus cura o paralítico Esse é um dos milagres de Jesus que chama mais atenção pelo fato de que nesse dia antes de curar o paralítico Jesus o perdoa de todos seus pecados.

Nesse momento todos puderam confirmar que Jesus tinha autoridade para perdoar os pecados daqueles que em nele confiava. E mais uma vez ficou provado que Jesus era realmente o filho de Deus. A cura do cego Nesse milagre, quando Jesus estava passando um cego começou a clamar por ele em alto som, tendo esperança que Jesus iria ouvi-lo.

Alguns outros milagres de Jesus Jesus acalma a tempestade: Mateus 8:23-27; Marcos 4:37-41; Lucas 8:22-25.A grande pesca: Lucas 5:4-11.Cura de um leproso: Mateus 8:1-4; Marcos 1:40-42; Lucas 5:12-13.A ressurreição de Lázaro (João 11:1-44).Jesus anda sobre as águas: Mateus 14:25-33; Marcos 6:48-51; João 6:19-21.A figueira seca: Mateus 21:18-22; Marcos 11:12-14,20-25.

Sem dúvidas, a vida de Jesus foi o mais importante milagre que a humanidade já testemunhou, dede o seu nascimento até a hora da sua morte e ressurreição. E seu maior milagre foi conseguir pelo seu próprio sacrifício, perdoar e apagar todos os nossos pecados, dando sua própria vida para nos salvar.
Ver resposta completa

Qual foi a primeira milagre?

Capítulo 12: As Bodas de Caná Jesus Cristo e Seus discípulos foram a uma festa de casamento em Caná. Maria, mãe de Jesus, também estava na festa. Ela contou a Jesus que não havia mais vinho para servir aos convidados. Jesus amava e respeitava Sua mãe e perguntou a ela o que desejava que Ele fizesse. Maria disse aos serventes que fizessem o que Jesus mandasse. Jesus disse aos serventes que enchessem com água seis jarros de pedra. Cada jarro comportava entre 68 a 102 litros. Ele então transformou a água em vinho. Jesus disse aos serventes que pegassem o vinho dos jarros e dessem à pessoa encarregada de organizar a festa. O organizador da festa ficou surpreso quando tomou o vinho. O vinho bom geralmente era servido no começo da festa, mas, dessa vez, foi servido por último. Esse foi o primeiro milagre realizado por Jesus durante Sua vida na Terra do qual existe registro. Ele realizou esse milagre para ajudar sua mãe, mas isso também fortaleceu a fé dos discípulos. : Capítulo 12: As Bodas de Caná
Ver resposta completa

Quando deixa de ser padre?

Padres que abandonaram o sacerdócio por Mariana Azevedo Ao tomar a decisão de se tornar padre, um homem precisa estar à altura de certos requisitos. Ter mais de 25 anos, ser solteiro, precisa ter feito oito anos de seminário ou cursado teologia e, na maioria das vezes, também filosofia, e precisa ter sido ordenado diácono.

  • Acima de tudo, é necessário que o homem tenha vocação.
  • Porém, o que acontece quando, após enfrentar todos os passos e exercer o sacerdócio, o padre decidir que não quer mais ser padre? O que deve fazer caso decida abandonar o sacerdócio? Como se reajustar à sociedade? Segundo o padre Cosmo Francisco, pároco da Igreja Nossa Senhora da Paz, o desprendimento da Igreja muitas vezes é um processo lento e que envolve muita ponderação.

“A maioria dos padres se prepara a vida inteira para o exercício do sacerdócio, por isso demora meses, até mesmo anos a tomar a decisão de ‘deixar de ser padre’ definitivamente”, explica. O padre que decide deixar de exercer o sacerdócio deve solicitar sua desvinculação no Tribunal Diocesano, com desdobramento em Roma.

Em seguida, é obrigado pelo Vaticano a assinar uma carta de desligamento. A última etapa é o certificado de dispensa emitido pelo Papa, que permite que ele se case. Se quiser retornar a exercer a atividade, o padre terá de reiniciar o ministério, o que torna o processo de desligamento com a Igreja muito mais difícil e definitivo.

Na maioria das vezes, o fator determinante para a saída do sacerdócio é o celibato. O Movimento das Famílias dos Padres Casados, que engaja os sacerdotes e suas famílias, existe desde 1986 e já tem mais de 5 mil membros no Brasil. Nele, são realizados encontros a cada dois anos, além de possuir um jornal próprio e discussões diárias sobre os mais diversos assuntos.

  1. O apoio mútuo é um dos fatores que ajuda os sacerdotes no processo de reintegração à sociedade.
  2. Além da mudança de rotina, quem deixa o trabalho de padre para seguir a voz do coração enfrenta a mudança de pensamento.
  3. Para o professor de teologia Ismael Sanches, durante o processo, houve várias reviravoltas.

Após exercer a profissão em Portugal, seu país natal, ele deixou o sacerdócio, casou, teve uma filha e ficou viúvo. Passou, então, anos dedicando sua vida de novo à teologia de maneira acadêmica. Até que, aos 75 anos, conheceu uma brasileira, começaram a namorar e ele casou novamente.

  • Apesar de todas as mudanças serem espontâneas, sempre fica a saudade.
  • Nunca me arrependi da minha decisão.
  • Continuo, todavia, com muitas saudades das alegrias que o sacerdócio me trouxe”, conta Ismael.
  • Mesmo não podendo mais ministrar missas ou casamentos, os padres nunca deixam a fé e o contato com a Igreja.

Segundo Ismael, é impossível viver sem laços estreitos com Deus. “Hoje, apesar de encarar a Igreja com um sentido muito crítico, também tenho a veneração que lhe devo como mãe e mestra”. : Padres que abandonaram o sacerdócio
Ver resposta completa

Qual foi o primeiro milagre eucarístico?

Milagre de Lanciano – Lanciano é uma pequena cidade italiana localizada na região de Abruzos. No século VII, a pacata localidade foi o palco do primeiro milagre eucarístico reconhecido pela Igreja Católica, Durante a celebração da Santa Missa em um domingo comum, um dos monges do mosteiro de São Legoziano, denominados Monges de São Basílio, questionou a si mesmo sobre o Sacramento da Eucaristia e a relação e transformação do pão e vinho. Milagre Da Hóstia Que Virou Carne Junior, Public domain, via Wikimedia Commons Enquanto fazia a consagração, no entanto, algo inesperado aconteceu. A hóstia se transformou em um pedaço de corpo e o vinho em sangue coagulado. O monge, confuso quanto ao que tinha acabado de acontecer, em lágrimas proferiu aos fiéis: “Ó bem-aventuradas testemunhas diante de quem, para confundir a minha incredulidade, o Santo Deus quis desvendar-se neste Santíssimo Sacramento e tornar-se visível aos vossos olhos. Milagre Da Hóstia Que Virou Carne CC BY-SA 3.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=337696
Ver resposta completa

You might be interested:  Porque Tem Carne Que Tem Gosto De Figado?

O que o padre fala quando ergue a hóstia?

O que devemos rezar quando o padre eleva a hóstia e o cálice? Éum costume piedoso na Igreja Católica: fazer uma breve oração interior no momento em que o padre eleva a hóstia consagrada e o cálice na Missa. De fato, é nesse momento que a hóstia, pelo poder de Deus, se torna o Corpo, o Sangue, a Alma e a Divindade de Jesus Cristo.

“Meu Senhor e meu Deus”; “Senhor, eu creio, mas aumentai a minha fé”; “Meu Senhor e meu Deus, eu vos adoro hóstia consagrada, onde está o verdadeiro Corpo, Sangue, Alma e Divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo vivo e realmente como está no Céu”; “Meu Senhor e meu Deus, eu vos adoro cálice consagrado, onde está o verdadeiro Sangue, Corpo, Alma e Divindade de Nosso Senhor Jesus Cristo vivo e realmente como está no Céu”.

Vale dizer que a Igreja recomenda que, quando o padre faz o rito de elevação da hóstia e do cálice, a assembleia deve permanecer olhando para o sacerdote. A inclinação da cabeça e a breve prece pessoal devem acontecer quando o padre faz a genuflexão e coloca a hóstia (e depois o cálice) novamente sobre o altar. Fonte: : O que devemos rezar quando o padre eleva a hóstia e o cálice?
Ver resposta completa

O que acontece quando a hóstia cai no chão?

A Eucaristia é expressão do amor incondicional de Jesus por nós. Ele oferece da sua própria carne para nos alimentar em nossa caminhada e missão. Temos com a Eucaristia uma relação de profundo amor e respeito. Na comunhão eucarística entramos em profunda união com Jesus, com sua vida e missão.

  1. Por isso, receber a Sagrada Eucaristia requer de nosso coração uma profunda atitude de fé e de acolhimento.
  2. Jesus não pode ser apenas um pão na boca, Ele tem que ser amor que chega ao nosso coração e transforma nossa vida.
  3. Receber a Eucaristia é entrar em profunda comunhão de amor com a vida de Jesus, para que Ele seja Vida em nossa vida.

:: A devoção dos santos e a Eucaristia O momento da comunhão, dentro da Santa Missa, é essencialmente um momento oracional, momento de rezar a presença de Cristo em nossa vida, como na passagem dos discípulos de Emaús que ao reconhecerem Cristo no partir do Pão o Cristo desapareceu diante de seus olhos, pois agora, pelo olhar da fé, o Cristo é presença no coração de cada um que Nele acredita e que o acolhe com amor.

  1. Assim, o momento da comunhão deve ser vivido na grandeza da fé que nos faz acreditar que o Pão e o Vinho consagrados são o Corpo e Sangue de Jesus e, nessa fé, acolher o Cristo como o Pão da Vida, o Pão que alimenta nossa vida e nos salva.
  2. Durante a comunhão, por mais que se viva com respeito e amor este momento, pode acontecer situações que vão exigir calma, serenidade e profundo sentimento de fé para serem resolvidas, como por exemplo, quando no momento da comunhão a hóstia vier a cair no chão.

Isso pode acontecer tanto das mãos do sacerdote ou do ministro que entrega, como do fiel que recebe. Leia Mais Nossa Senhora, a Mãe da Eucaristia A Eucaristia cura Maria e a Eucaristia Quando isso acontece, não é para se assustar e muito menos entrar em pânico, ou num escrúpulo religioso achando que a Eucaristia foi profanada,

Se a hóstia vier a cair no chão, isso não significa que houve a intenção de jogar o Corpo de Cristo no chão, Neste momento, o fundamental é manter a serenidade e o respeito, Então, se no momento de receber a comunhão, a hóstia cair no chão, tanto o fiel pode abaixar e pegar a hóstia e comungar, ou o ministro pegue a hóstia que pode ser colocada dentro de um sanguíneo para ser comungada depois pelo próprio ministro, ou dissolvida na água e colocada numa planta.

Não seria interessante o ministro pegar e comungar a hóstia que caiu e continuar distribuindo a comunhão, pois o comungar pede sempre uma atitude de silêncio interior e oração. Por isso, o fundamental no momento da comunhão é a atitude de fé de quem se coloca para receber o Corpo de Cristo no desejo de entrar em comunhão com a vida de Jesus, sabendo que comungar a vida do Cristo no altar é também se comprometer com sua missão.
Ver resposta completa

Qual é o gosto da hóstia?

Qual sabor tem a Hóstia? – Estava no carro conversando com minha afilhada, Ariel, quando ela me perguntou por que sempre que passo em frente à igreja faço o sinal da cruz. Expliquei que faço aquele gesto, acima de qualquer outra crença, em sinal de respeito por saber que Jesus se encontra lá dentro.

  1. Começaram a vir mais perguntas.
  2. Resumo dessa história foi que fui parar tentando explicar pra ela o que era “aquele pãozinho que o padre da “pras” pessoas “- nas palavras dela.
  3. No meu humilde conhecimento, tentei ilustrar que “Aquele pãozinho” era Jesus Cristo.
  4. Conversei, expliquei, demonstrei, nos mínimos detalhes, tudo isso pra ela não pensar que estaria “mastigando Jesus” somente por mastigar.

Daí surgiu mais uma pergunta: Que gosto tem tio?” A princípio, respondi o que muitas vezes eu já ouvira – “Não tem gosto de nada Ariel!”. Porém, parei uns segundos e voltei atrás. Falei com ela que a hóstia tinha o gosto que cada pessoa gostaria de sentir quando está na intimidade com Deus.

  1. Falei que cada pessoa sente um gosto diferente dependendo de quanto acredita que aquilo “É” o próprio Papai do Céu.
  2. Algumas pessoas simplesmente acham que é um pão e mais nada, por isso não sentem nada além de farinha.
  3. Outras acreditam tanto que é Jesus, que dizem ter o gosto mais gostoso que já provaram.

Tentei mostrar pra ela que independente do que você sinta a primeiro momento, acreditando ou não, um dia, aquele sabor irá se tornar o gosto que não irá faltar na vida de todo o MUNDO. Todos irão buscá-lo e quando não o tiverem fará uma falta. Quando cheguei a casa me perguntei: Será que não já passou da hora de colocar essa “guria” na Catequese?– Padrinho está aí pra isso.
Ver resposta completa

Quem não pode tomar hóstia?

Milagre Da Hóstia Que Virou Carne Wikimedia Commons | Foto: Com a publicação da exortação apostólica pós-sinodal Amoris Laetitia, “A alegria do amor”, muitos meios de comunicação destacaram que o papa abriu as portas para que pessoas que estão em segunda união possam comungar. Outros disseram que não mudou nada. Afinal, o que aconteceu? Entenda a questão em cinco passos:

Disciplina é diferente de doutrina

Há quem diga que nada mudou porque a doutrina da Igreja não pode mudar. É verdade, não pode. Mas a disciplina pode. A doutrina é aquilo que faz parte do anúncio da fé cristã sobre Deus e sobre o homem. A disciplina são regimentos internos que podem ser alterados.

Por exemplo, a obrigatoriedade do celibato para os que desejam o sacerdócio e os tempos e os modos de fazer jejum são disciplinas: há padres casados na Igreja (no Oriente e entre os ex-anglicanos convertidos) e as leis sobre o jejum são só um mínimo que a Igreja estabelece para orientar a prática. Mas o valor do celibato e do jejum são doutrina: nunca a Igreja vai dizer que esses elementos não são importantes.

Mas e a comunhão aos recasados, é doutrina ou disciplina? Há dois elementos doutrinais na questão: 1) o adultério é um pecado objetivamente grave; 2) quem está em pecado grave não pode receber a comunhão eucarística (deve se confessar e sair da situação de pecado em que vive).

Situação objetiva de pecado

A questão está no fato de que um pecado pode ser objetivamente grave, mas devido a diversos elementos, pode ser que a pessoa não esteja pecando ao realizá-lo. Como assim? Explica o Catecismo da Igreja Católica (de 1992): “A imputabilidade e responsabilidade de um ato podem ser diminuídas, e até anuladas, pela ignorância, a inadvertência, a violência, o medo, os hábitos, as afeições desordenadas e outros fatores psíquicos ou sociais” (n.1735).

Alguém forçado a cometer um ato de violência, por exemplo, não pode responder por esse ato com a mesma responsabilidade que alguém que o comete livremente, porque lhe falta liberdade. É o que pode acontecer com um casal que vive em segunda união. Diversos fatores – da pressão social à instabilidade afetiva, da lentidão dos processos canônicos de declaração de nulidade matrimonial ao dever de criar os filhos em uma família unida – podem fazer com que eles não possam ser culpabilizados pelo ato objetivamente pecaminoso de coabitar com uma nova pessoa, sendo já casado de forma indissolúvel.

Ou seja, há casos em que um casal de segunda união não está vivendo em pecado grave. Logo, a proibição da comunhão aos recasados é assunto de disciplina, não de doutrina.

A graça

Buscar a Deus e viver em sua amizade, evitando o pecado, é o que chamamos de viver na graça. Um casal de segunda união, dependendo da sua situação, pode viver na graça. Bento XVI já dava a entender isso, no Encontro Mundial das Famílias de 2012, em Milão.

Ele falava, sobre os divorciados recasados: “É muito importante também que sintam que a Eucaristia é verdadeira e participam nela se realmente entram em comunhão com o Corpo de Cristo. Mesmo sem a recepção ‘corporal’ do Sacramento, podemos estar, espiritualmente, unidos a Cristo no seu Corpo.” Ora, se alguém está unido a Cristo, vive na graça, porque a graça é a união com Deus em Jesus Cristo.

É o que afirma o papa Francisco na exortação: “Por causa dos condicionalismos ou dos fatores atenuantes, é possível que uma pessoa, no meio duma situação objetiva de pecado – mas subjetivamente não seja culpável ou não o seja plenamente –, possa viver em graça de Deus, possa amar e possa também crescer na vida de graça e de caridade, recebendo para isso a ajuda da Igreja” (n.305).

A possibilidade de comungar

É aqui que entrou a questão da Eucaristia: mesmo que muita gente tenha achado que a possibilidade da comunhão aos recasados tenha sido uma das principais questões dos sínodos sobre a família, para o papa tratou-se de uma questão secundária, à qual ele respondeu com uma simples nota de rodapé, referente ao trecho que citamos acima: “Em certos casos, poderia haver também a ajuda dos sacramentos.

  • Por isso, aos sacerdotes, lembro que o confessionário não deve ser uma câmara de tortura, mas o lugar da misericórdia do Senhor.
  • E de igual modo assinalo que a Eucaristia não é um prêmio para os perfeitos, mas um remédio generoso e um alimento para os fracos.” A lógica é simples: se a pessoa está vivendo na graça de Deus, por que não poderia receber a Eucaristia? A questão mais difícil é saber se de fato aquela situação de um casal específico representa um caso em que houve atenuantes de culpa.

Por isso, Francisco deixa claro que não quer emitir nenhuma normativa canônica a esse respeito, porque a variedade das situações é muito ampla (n.300). O papa dá algumas orientações para um discernimento adequado, mas esse é um processo que deve ser feito no foro íntimo entre um casal e um padre que os acompanhe.

A letra e o espírito: o trunfo de Francisco

“É mesquinho deter-se a considerar apenas se o agir duma pessoa corresponde ou não a uma lei ou norma geral, porque isto não basta para discernir e assegurar uma plena fidelidade a Deus na existência concreta de um ser humano” (n.304), escreve Francisco.

  1. A grande sacada do papa foi dar primazia à busca de comunhão com Deus.
  2. Ele poderia – como foi sugerido – ter criado canonicamente um percurso penitencial para permitir que os casais de segunda união comunguem.
  3. Porém, se o fizesse, estaria burocratizando mais ainda o acesso aos sacramentos: muitos poderiam fazer o dito percurso sem experimentá-lo e vivenciá-lo desde dentro como um caminho de conversão e busca da santidade – assim como boa parte dos que hoje participam de um curso de preparação para o matrimônio ou para o batismo de um afilhado, por exemplo.

A “letra”, a lei, nesse caso, só criaria mais problemas. Francisco optou pelo espírito: a busca sincera de realizar a vontade de Deus. E o papa deixa tudo muito claro: a primazia da busca da vontade de Deus é fundamental, diz ele, “para evitar o grave risco de mensagens equivocadas, como a ideia de que algum sacerdote pode conceder rapidamente ‘exceções’ ou de que há pessoas que podem obter privilégios sacramentais em troca de favores.

Quando uma pessoa responsável e discreta, que não pretende colocar os seus desejos acima do bem comum da Igreja, se encontra com um pastor que sabe reconhecer a seriedade da questão que tem entre mãos, evita-se o risco de que um certo discernimento leve a pensar que a Igreja sustente uma moral dupla” (n.300).

Não é possível compreender a resposta de Francisco em termos de “permissão”, “proibição”, “irregularidade” e “liberação” porque a preocupação dele é justamente a de não entender as coisas de modo legalista, mas viver um processo de conversão verdadeiro, total, em busca da comunhão com Deus em Jesus Cristo.
Ver resposta completa

Onde fica guardada a hóstia consagrada?

O ostensório é uma peça utilizada no rito católico cujo nome deriva da função de exibir a hóstia sagrada (em latim, ostendere ). É formado por uma pequena caixa em vidro de forma circular, paralelipipédica ou cilíndrica, onde se encaixa a hóstia consagrada (por vezes num suporte feito em ouro e em forma de meia lua, chamado “luneta”), com um pé para pousar usualmente na mesa de altar ou no topo do trono de um retábulo.

  1. A forma basilar (que se tornou mais ou menos fixa no século XV, apesar de ter havido variações estéticas ao longo dos tempos) evoluiu da dos cibórios e dos relicários (recipientes para guardar objetos sagrados), aos quais de juntou um pedestal para melhor serem vistos.
  2. Os materiais de que os ostensórios são feitos são normalmente ouro, prata e prata dourada – frequentemente com combinações destes materiais – e em casos raros, madeira dourada.

Os ostensórios podem ser mais ou menos trabalhados, atingindo alguns extrema beleza no entalhe e na decoração de motivos religiosos. Estes objetos adquirem especial relevância litúrgica na cerimónia das Quarenta Horas (exposição do SS Sacramento durante 40 horas) e nas procissões, particularmente nas do Santíssimo Sacramento.
Ver resposta completa

Porque o padre parte a hóstia grande?

O tamanho da hóstia manuseada pelo padre trata-se apenas de uma questão de visibilidade, pois em algumas comunidades e paróquias há um expressivo número de pessoas, que participam das celebrações eucarísticas.
Ver resposta completa

Onde fábrica hóstia?

Conheça a fábrica de hóstia localizada na cidade de Simões Filho, na RMS de Salvador – 15/04/2019. O local vende materiais para igrejas vizinhas e de Salvador.
Ver resposta completa

Qual a diferença de hóstia e Eucaristia?

A Eucaristia é uma celebração da Igreja Católica para lembrar a morte e ressurreição de Jesus Cristo. É também chamada de comunhão. Eucaristia significa reconhecimento, ação de graças, em grego. Um dos sete sacramentos, a eucaristia ou comunhão é o ato de recebimento da hóstia consagrada, o símbolo do corpo de Cristo.
Ver resposta completa