A Gemada de Edgar Allan Poe

A bebida favorita de Edgar Allan Poe era Gemada. Para ele, era Natal todo dia.

No começo da minha adolescência eu vivi um período obscuro que envolvia camisetas de rock n’ roll, calças rasgadas, maratonas ininterruptas de “Arquivo X” e um apreço peculiar por escritores românticos e obscuros como Mary Shelley e Edgar Allan Poe. Foi nesta época que eu ganhei dos amigos da escola o apelido de ET – por motivos óbvios.

Foi uma infância feliz, como ficou claro.

A questão é que ainda hoje me sinto apegada a Edgar Allan Poe como se ele tivesse sido um ombro amigo numa fase conturbada da vida. Dia desses, visitando a casa da mãe, me deparei com o exemplar de “Histórias Extraordinárias” que, por tanto tempo, me acompanhou no colégio. Tive um sobressalto. Como assim ele ainda não tinha entrado aqui no blog?

Bom, chegou a hora de me redimir.

Histórias Extraordinárias

Edgar Allan Poe era um cara perturbado. Ainda muito jovem, ele ficou órfão da mãe, pouco tempo depois do pai abandoná-los. Em seguida, foi adotado por uma família que nunca incentivou muito as suas intenções literárias. Ele jogou tudo pro alto, foi embora, um beijo e passar bem, se casou com uma prima (Ela com 13 anos e ele com 27) e tentou viver a vida só com a escrita. O que, como você já deve imaginar, não foi uma boa ideia. (Dilema que nós jornalistas vivemos ainda hoje). e

Ele estudou na Universidade da Virgínia em 1826 e foi expulso naquele mesmo ano por causa da sua vida boêmia. E era uma vida pra lá de boêmia. Amigos diziam que não existia encontrar Poe sem que ele estivesse carregando para cima e para baixo uma garrafa de whisky.

Mas a sua bebida favorita era mesmo a Gemada (só porque nela ia whisky). A família adotiva do escritor fazia uma receita clássica de gemada que passou de geração para geração e, claro, para a nossa sorte, chegou aos dias de hoje.

Morreu aos 40 anos sem que ninguém, hoje em dia, ainda saiba a razão. Já falaram de raiva, de cólera, de suicídio, de alcoolismo, de depressão, de overdose, de sífilis e de diabete. Mas o que se sabe é que ele foi encontrado perambulando pelas ruas de Baltimore, totalmente desorientado, no dia 3 de outubro de 1849. Suas últimas palavras foram: Senhor, por favor, ajude a minha pobre alma.

E já que estamos aqui, papeando sobre Poe, quero indicar um seriado. Estou completamente viciada em “The Following“. Uma série com os tesudos Kevin Bacon e James Purefoy. Pensa num serial-killer, um escritor, que decide matar as pessoas inspirado em contos de Edgar Allan Poe e ainda escrever um livro sobre a peripécia?

Olha o trailer da série abaixo:

 

 

 


Machado de AssisNível: Apenas 1 Machado 

Gemada
Serves 5
Avalie essa receita
Imprimir Receita
Tempo de preparo
20 min
Tempo de preparo
20 min
Ingredientes
  1. - 7 gemas
  2. - 7 claras batidas em neve
  3. - 1 xícara de açúcar
  4. - 5 xícaras de leite integral
  5. - Nós moscada
  6. - 1 1/2 xícara de whisky
  7. - 1/3 xícara de rum
Modo de Preparo
  1. Misture as gemas com o açúcar e reserve.
  2. Numa panela, esquente o leite sem deixar que ele ferva. Em seguida, acrescente a mistura dos ovos e misture até que engrosse.
  3. Coloque a bebida em copos e deixe esfriar antes de colocar a noz moscada, o whisky e o rum.
  4. Cubra a bebida com as claras e sirva.
Capitu vem para o jantar http://capituvemparaojantar.com/
 

 

 

Dá pra entender porque a bebida era a favorita de Poe.

Você pode servir gelada ou quente. Vale experimentar para ver como você prefere! 

(Eu prefiro gelada rs)

Denise Godinho

Meu nome é Denise Godinho. Decidi aprender a cozinhar e, para a empreitada ser mais interessante, vou fazer as receitas que estão escondidas dentro dos livros. E, acredite, são muitas!

Share This